X 22bet

Aposta ganha forum

Nesta entrevista, o Dr. Madeleine Swortwood da universidade estadual de Sam Houston fala às ciências da vida Notícia-Médicas sobre o simpósio que conduzirá em Pittcon este ano nos desafios analíticos dos cannabis e seus impactos na condução e na saúde pública.

Que papel o cannabis joga em 2021, especialmente no reino da saúde pública?

Que papel o cannabis joga em 2021, especialmente no reino da saúde pública?

Com uso medicinal e recreacional aumentado, nós precisamos realmente de ter uma compreensão contínua de como esta está indo impactar a condução droga-danificada, a segurança do local de trabalho e mesmo exposições tóxicas acidentais.

Que são alguns desafios e impactos analíticos na condução e na saúde pública ao estudar o cannabis em contextos biológicos? Que metodologias analíticas inovativas emergiram para endereçar estes desafios?

Que são alguns desafios e impactos analíticos na condução e na saúde pública ao estudar o cannabis em contextos biológicos? Que metodologias analíticas inovativas emergiram para endereçar estes desafios?

Há realmente muito desacordo quando se trata da segurança do cannabis, especialmente a propósito do desempenho humano e do prejuízo. Nós estamos indo discutir porque o prejuízo do cannabis é desafiante estabelecer e a dificuldade de instituir limites como nós estabelecemos com o álcool 0,08.

Nós temos agora a capacidade, de um ponto de vista analítico, para detectar níveis inferiores dos cannabinoids, e nós igualmente temos a capacidade para identificar e determinar outros marcadores do cannabinoid. Com instrumentação sensível isto permite que nós avaliem cannabinoids em líquidos emergentes e tecidos como o cabo de cordão umbilical e o líquido oral.

Como você mencionou, os cannabinoids são absorvidos por líquidos e por tecidos biológicos após o consumo para finalidades medicinais ou recreacionais. Por que é importante detectar e determinar estes?

Como você mencionou, os cannabinoids são absorvidos por líquidos e por tecidos biológicos após o consumo para finalidades medicinais ou recreacionais. Por que é importante detectar e determinar estes?

THC é o componente psychoactive do cannabis. É realmente importante poder identificar as substâncias de danificação em um indivíduo. Tipicamente, os metabolitos são visados frequentemente em um ensaio do laboratório e pode estabelecer que o cannabis estêve usado, mas os metabolitos não correlacionam necessariamente com o prejuízo e não permite realmente que nós identifiquem quando o cannabis foi usado.

Assim, nós estamos tentando constantemente melhorar nossa capacidade para identificar o uso recente do cannabis de modo que nós possamos ordenar para fora talvez algo que ocorreu diversos dias previamente.

Podem você descrever os procedimentos analíticos novos para a detecção e a quantificação das drogas de abuso você para ter-se tornado e de como você aproximando seu alvo estão inventando mais técnicas universais para a aplicação fácil em laboratórios judiciais da toxicologia?

Podem você descrever os procedimentos analíticos novos para a detecção e a quantificação das drogas de abuso você para ter-se tornado e de como você aproximando seu alvo estão inventando mais técnicas universais para a aplicação fácil em laboratórios judiciais da toxicologia?

Eu tenho-me centrado durante estes últimos anos sobre o uso da cromatografia líquida, espectrometria em massa em tandem analisar tradicional e synthetic ou drogas de desenhista de abuso em vários líquidos. Eu tenho posto muito meu foco sobre matrizes alternativas como o líquido oral.

Eu trabalhei em uma variedade de laboratórios diferentes e todos enfrenta algum tipo de défice quando se trata dos recursos, se aquela é instrumentação, orçamento, provendo de pessoal. Devido ao esse, eu quero produzir as técnicas que são executadas facilmente nos laboratórios que podem usar o equipamento que ou já têm ou que poderiam facilmente obter, porque aqueles estão indo finalmente ser os utilizadores finais de algumas destas técnicas.

Mover-se longe das coisas como o immunoassay para a massa especs.-baseou a selecção, traduzindo mesmo muitos métodos mais velhos de GCMS a LCMS, ou mesmo actualizando algumas das técnicas da extracção da extracção do líquido-líquido à extracção da fase contínua e fazendo aqueles tipos de métodos em uma maneira que fosse ainda disponível e realmente pudesse facilmente ser validada em alguns dos laboratórios.

Você publicou recentemente um estudo intitulado “identificar e determinar Cannabinoids em matrizes biológicas na era médica e legal do cannabis”. Pode você dizer-nos mais sobre estas matrizes que biológicas você se usou?

Você publicou recentemente um estudo intitulado “identificar e determinar Cannabinoids em matrizes biológicas na era médica e legal do cannabis”. Pode você dizer-nos mais sobre estas matrizes que biológicas você se usou?

Este era um papel de revisão enorme que eu pusesse junto com dois de meus colegas, Dr. Erin Karschner e Dr. Marilyn Huestis, que estará falando nos simpósios comigo. Nós quisemos realmente resumir os métodos que estão disponíveis na literatura dos 20 anos passados.

Nós revimos quase 300 artigos de modo que nós pudéssemos resumir e demonstrar as técnicas analíticas que são usadas para matrizes tradicionais, como o sangue e a urina, mas igualmente para algumas das matrizes alternativas mais emergentes, como o cabo oral do líquido, da respiração, do cabelo, do meconium e de cordão umbilical.

Podem você definir NPS, ou as substâncias psychoactive novas, que se tornaram mais populares no pelotão da frente do mercado da droga e da saúde pública e elaboram em seu impacto? Podem outras drogas como drogas da marijuana, da cocaína e de desenhista igualmente ser analisadas com um ponto de foco em esferas da saúde pública?

NPS são estrutural ou quimicamente similares às drogas de abuso tradicionais, como THC, MTMA, PCP; contudo, suas estruturas são alteradas ligeira. Isto está geralmente em um esforço à potência do aumento ou como um mecanismo para a legislação da ilusão ou avenidas tradicionais do teste da droga.

São não somente extremamente perigosos e altamente tóxicos, mas são igualmente muito difíceis de analisar em um laboratório desde que suas estruturas estão evoluindo constantemente. É um alvo movente para nós. Todas estas drogas permanecem uma edição enorme, especialmente de uma perspectiva da saúde pública, especialmente quando se trata das coisas como a segurança danificada da condução e do local de trabalho. Eu penso que é realmente importante educar o público na segurança da droga ou na falta disso.

Aquele é realmente um aspecto importante sobre a perspectiva da saúde pública. Poderia você explicar mais como a presença e a influência dos cannabinoids em casos da condução e da saúde pública mudaram ao longo do tempo?

O cannabis permanece a droga a mais comum do não-álcool que é envolvida em casos do conduzir sob o efeito. Porque nós vemos um aumento no uso medicinal, no decriminalization e no uso recreacional, o público já não vê o cannabis como uma segurança ou uma edição do prejuízo. Nós precisamos de manter aquelas coisas na mente e e de educar o público.

Da toxicologia judicial e da química analítica às substâncias controladas e à toxicologia clínica, sua experiência cobre uma vasta gama de campos. Pode você descrever trabalhar na intersecção da ciência e da saúde pública e como este interdisciplinarity conduz seu trabalho?

Eu penso que é realmente importante endereçar problemas científicos dos ângulos múltiplos e eu fui afortunado trabalhar em uma variedade de laboratórios diferentes que me ajudaram não somente a construir minha experiência, mas me ajudei finalmente a dar forma ao grupo de investigação no estado de Sam Houston.

Minha pesquisa tem que ter um impacto na comunidade porque aquele é o que faz a pesquisa significativa. Ninguém quer a apenas faz a pesquisa em um vácuo. Assim, as coisas gostam do melhor teste da droga ou mesmo a compreensão como as drogas se comportam no corpo ajudará finalmente a política da forma e emprestá-la-á realmente a educar o público na segurança da droga realmente para o melhor.

Que são algumas etapas que futuras você estará tomando com sua pesquisa nos próximos 5 a 10 anos e que você espera papel do cannabis' ser no futuro da saúde pública?

Eu gostaria realmente de continuar a trabalhar para a identificação de marcadores recentes do uso, especialmente em matrizes alternativas, como fluido oral e talvez mesmo a respiração. Eu gostaria realmente de ver mais pesquisa entrar no teste fluido oral da droga, em ambos de um ponto de vista da borda da estrada para coisas como a condução danificada droga, ou mesmo no teste da droga do local de trabalho.

Eu igualmente gostaria de ver mais laboratórios desenvolver métodos da confirmação de modo que nós pudéssemos executar a gama de teste da droga e realizar o mesmo espaço da análise no líquido oral que nós pudemos olhar para o sangue ou a urina. O líquido oral tem muitas vantagens.

Os povos estão querendo muito mais fornecer um cotonete fluido oral ou um cotonete da saliva do que devem fornecer um copo da urina ou mandar um phlebotomist tomar uma amostra de sangue. Assim, eu gostaria realmente de continuar a ver o líquido oral vir acima no campo.

Quando o cannabis não for legal a nível federal nos Estados Unidos, tão muitos estados individuais aprovaram o uso medicinal ou recreacional. Nós precisamos de continuar a controlar os efeitos que o cannabis terá na segurança danificada da condução e do local de trabalho. Apenas porque algo é legal não significa que é seguro para alguém se usar todo o tempo, apenas como você não beberia no trabalho nem não beberia e não conduziria. Nós precisamos realmente de ter que o mesmo tipo de aproximação para o cannabis.

Você está jogando um papel no futuro da saúde pública assim como de um membro velho da sociedade de toxicólogos judiciais e da academia de ciências forenses americana. Que é a importância de tais governo e organizações de saúde e seus regulamentos da droga na pesquisa e na política, especialmente porque a legalização de várias drogas unstandardized em América?

É realmente difícil imaginar, mas o uso da droga em um estado poderia ser perfeitamente fino mas poderia realmente conduzir às conseqüências sérias em um outro estado. Nós não temos nenhuns limites estandardizada quando se trata da condução danificada com as algumas das drogas, assim que nós não temos algo que é equivalente ao 0,08 que nós podemos comparar para ao álcool.

É realmente duro vir acima com algum tipo de legislação que seria bom para cada droga de abuso que nós estamos encontrando. Estas organizações são grandes para trabalhos em rede, colaborando e ficando atualizadas com a pesquisa superior no campo. Fornecem uma plataforma excelente para a disseminação rápida do conhecimento, próximo pesquisa e mesmo indícios que nós na droga tendem.

Especialmente quando nós pensarmos de substâncias psychoactive novas ou novas. Uma vez que um daqueles compostos é programado, às vezes significa que um outro composto que tenha ser programado ainda aparecerá em seu lugar no mercado da droga. Os regulamentos estão indo realmente ditar as tendências da droga, assim que nós precisamos realmente de estar cientes do que são ilegal e do que são programadas e o que pôde vir acima de em seguida.

Por que você escolheu apresentar a seu trabalho em Pittcon este ano e como este evento contribui a sua pesquisa e a seu impacto mais largo em indústrias da saúde pública?

No ano passado a oficina do cannabis era realmente bem recebido e nós quisemos expandir no que foi introduzido por nossos colegas e trazer a alguns mais ângulos ao pelotão da frente. Pittcon permite que eu conecte com outros cientistas.

Permite que eu ajude a alargar meu conhecimento, mas igualmente ajuda-me a disseminar meus resultados e minha pesquisa a um maior e mesmo a um grupo ligeira diferente no campo científico. Pittcon reune os melhores pesquisadores, os cientistas superiores, e todos os vendedores analíticos que nós precisamos de ajudar realmente a propelir para a frente o campo, mesmo se nós estamos fazendo tão remotamente este ano.

Finalmente, enquanto as coisas olham um pouco de diferentes em 2020 este ano, você que olha para a frente a um Pittcon virtual está trazendo a comunidade da ciência junto e as tendências novas que emergirão?

Eu estou olhando definida para a frente realmente a ver como Pittcon permite que nós mantenham trabalhos em rede e colaboração como nós em um ajuste tradicional. Será emocionante ver o que todos tem realizado mais quando nós formos colados em casa e talvez não no laboratório tanto quanto nós gostaríamos.

Eu gostaria realmente de ver como nós podemos toda a reunião e de trazer nos próximos anos à pesquisa uma etapa mais adicional. Eu ver realmente conferências como uma maneira de comemorar a pesquisa, de trazer povos junto. Eu digo sempre a meus estudantes que é uma recompensa para trabalhar duramente todo o ano e poder apresentar sua pesquisa a seus colegas. Mas eu igualmente encontro que as conferências são a melhor maneira à rede.

São a melhor maneira de figurar para fora como alguma outra pessoa pôde endereçar um problema similar, ou pôde o aproximar de um ângulo ligeira diferente. E mais mentes que você tem o trabalho em um problema, mais distante você está indo obter. Eu aprecio participar nas conferências porque sem ele, você outra vez apenas está fazendo a pesquisa em um vácuo e realmente não está pagando a atenção ao que outros povos estão fazendo. Assim, nós todos temos que trabalhar junto.

Sobre o Dr. Madeleine Swortwood

O Dr. Madeleine Swortwood juntou-se ao departamento da ciência forense na universidade estadual de Sam Houston como um professor adjunto em agosto de 2016. O Dr. Swortwood recebeu um diploma de licenciado na bioquímica da universidade de Duquesne em 2009 e um Ph.D. na química da universidade internacional de Florida (FIU) em 2013. Desde 2014-2016, terminou uma bolsa de estudo pos-doctoral com o instituto nacional no abuso de drogas, uma divisão dos institutos de saúde nacionais (NIH). Investigou a toxicologia e o metabolismo dos cannabinoids e das drogas do estimulante e desenvolveu habilidades na administração dos testes peritos do reconhecimento da droga para identificar o uso da droga no campo. Era um investigador do associado em um ensaio clínico controlado da administração do cannabis e - em uma exposição dentro igualmente examinada da droga do utero.

Durante a escola, o Dr. Swortwood serviu como um interno no centro da química judicial de Food and Drug Administration e no laboratório da toxicologia de examinador médico de Miami-Dade, onde foi contratada como um toxicólogo a tempo inteiro judicial. Como um toxicólogo judicial, executou análises post-mortem rotineiras da droga da aquisição da amostra ao exame, à confirmação, e à quantificação das drogas, dos voláteis, e dos venenos.

Sponsored Content Policy: News-Medical publishes articles and related content that may be derived from sources where we have existing commercial relationships, provided such content adds value to the core editorial ethos of News-Medical.Net which is to educate and inform site visitors interested in medical research, science, medical devices and treatments.

Citations

Please use one of the following formats to cite this article in your essay, paper or report:

Pittcon. (2021, February 09). Desafios da análise e dos impactos do cannabis na condução e na saúde pública. News-Medical. Retrieved on February 20, 2021 from.

Pittcon. "Desafios da análise e dos impactos do cannabis na condução e na saúde pública". News-Medical. 20 February 2021.

Pittcon. "Desafios da análise e dos impactos do cannabis na condução e na saúde pública". News-Medical(accessed February 20, 2021).

Pittcon. 2021. Desafios da análise e dos impactos do cannabis na condução e na saúde pública. News-Medical, viewed 20 February 2021,.

News-Medical.Net provides this medical information service in accordance with these terms and conditions. Please note that medical information found on this website is designed to support, not to replace the relationship between patient and physician/doctor and the medical advice they may provide.

João deixou-se agarrar pelo jogo e acabou a achar que tinha sido "mesmo burro"

Agora que o jogo online está legislado em Portugal, o Observador conta a história de João, que arriscou, perdeu quase tudo e acabou a pedir ajuda aos Jogadores Anónimos.

A nova lei do jogo online entra em vigor a 28 de junho

Este artigo foi publicado originalmente a 4/5/2015 e republicado a 25/5/2016 quando foi atribuída a primeira licença para apostas desportivas na internet.

Tinha 18 anos quando começou a ir com 12 ou 13 amigos para o Casino do Estoril. Era pela brincadeira, mas o dinheiro que ganhava agarrou-o, a ele e a mais três. No início só lá ia às sextas-feiras, depois começou a ir às sextas e sábados, até que chegou a ir grande parte da semana. Fez o que nunca sonharia fazer: estar à porta do casino às 15h, à espera que abrisse. Perto dos 40 anos, largou essa vida para entrar no mundo virtual, no jogo online. Pediu vários empréstimos de quatro mil euros, apostava aos milhares, chegou a ganhar 46 mil euros em cinco dias e mal dormia. Vendeu uma empresa por 14 mil euros e enfiou o dinheiro no jogo. Pediu um empréstimo de 20 mil euros através da conta do pai e metade do dinheiro seguiu o mesmo destino. O jogo e a vida já se baralhavam, embora nunca tenha faltado nada em casa, garante.

A mulher sabia que ele jogava, mas nunca soube a dimensão e o volume das apostas. Ainda hoje não sabe. Ela aconselhou-o a entrar nos Jogadores Anónimos, mas ele não quis saber. João nem se lembra sequer de ter tido essa conversa. Em 2014, decidiu que precisava de ajuda e inscreveu-se finalmente no grupo. Mais: entregou os cartões de crédito à mulher. “Fui mesmo burro”, diz, sem pudor. Esta é a história de João, um homem casado, com uma filha, que temeu perder tudo. Hoje diz saber o valor do dinheiro e sente-se senhor do seu destino.

A nova lei, que dá as boas-vindas ao jogo online em Portugal, foi publicada dia 29 de abril em Diário da República. Veja aqui o Explicador que o Observador preparou sobre o tema.

“Há três anos que jogava no jogo online, mas metia pouco — eram 70, 80, 100 euros por mês. Quando recebia [o ordenado], metia lá dinheiro. Ia jogando. Quando perdia, só voltava a meter dinheiro no mês seguinte”, conta João ao Observador, num canto do terminal fluvial do Cais do Sodré. Existem vários sites online e cada um tem as suas regras, mas funcionam todos mais ou menos da mesma forma: cria-se uma conta, transfere-se dinheiro (o mínimo em alguns é 15 euros) e está-se apto a apostar. As casas de apostas ficam com uma percentagem dos lucros, algo que também acontece na hora de retirar o dinheiro da conta para o transferir para o mundo real.

“Em março de 2014 tive sorte: ganhei 46 mil euros em cinco dias. Fiquei a pensar que era fácil. A minha mulher sabia que eu jogava, mas inventei que tinha saído uma parte na raspadinha.” A seguir decidiu transferir o dinheiro da casa de apostas para a sua conta. Eram quase 45 mil euros e o site bet365, diz, bloqueou-lhe a conta. “Não posso apostar lá mais. Não me deixavam apostar mais de 12, 13 euros. Ou seja, enquanto andava a apostar 2.000 euros estava tudo bem, quando souberam que tirei o dinheiro…”, desabafa, indignado, como quem ainda não ultrapassou aquela mágoa.

As apostas de João eram maioritariamente no futebol. A estratégia era aventureira, difícil: apostar, durante um jogo, na equipa que estava a perder, acreditando que ia dar a volta ao jogo. “Há pessoas que estão a ver o jogo e analisam. Eu apostava pela estatística que o site me dava. Pelos remates, ataques, só com isso, sem conhecer sequer as equipas. Podiam ser do Japão, China…”

Durante os tais cinco dias gloriosos em que ganhou 46 mil euros, João mal dormiu. “Estava quase sempre com o telemóvel na mão. O telefone tinha de ser carregado cinco vezes por dia, ou às vezes tinha de estar sempre ligado à corrente.” Mas o facto de ver a sua conta ser bloqueada não lhe devolveu o sono, pois a seguir abriu uma outra na Betfair, outra casa de apostas online. Em dois dias chegou aos 20 mil euros – “fui perdendo até aos quatro mil e retirei”.

Mas o susto, esse maldito mensageiro que não tem por hábito bater à porta, chegaria. “Assustei-me passados sete dias [de ter ganho os 46 mil euros], porque as nossas apostas estão no histórico. Assustei-me com o valor, com o volume de apostas que fiz. Apostei 155 mil euros, e nesses cinco dias ganhei qualquer coisa como 200 mil euros, resultando daí os tais 46 mil euros.”

“Ainda hoje a minha mulher não sabe o valor das minhas apostas”

O dinheiro não tinha valor para ele. Tinha sede de jogar, estava cego, queria correr atrás do risco, da adrenalina, do prazer pelo incerto ou, quem sabe, de fazer de um qualquer Deus e prever o futuro. “Esta vida nunca me trouxe problemas. Ganhava x [de salário], pagava as despesas e colocava uma parte para o jogo. Às vezes não chegava e ia buscar mais um bocado. A minha mulher ainda hoje não sabe o volume das minhas apostas.”

E uma folha de excel, um recanto na memória ou uma gaveta por fechar com o número redondo que já perdeu, existe? Não. “Sinceramente não quero saber disso. O ano passado falei com a minha mulher e decidi que tinha de pedir ajuda. A questão é que ela pensava que eu ia ao casino gastar 50 ou 100 euros, que já era muito para ela. Mas eu gastava 1.000, 2.000…”

O jogo, diz, “é uma ilusão”. Para ganhar argumentos e uma teoria mais robusta sobre como chegou a este ponto, João agarra-se ao passado para explicar o presente. “Nunca pensei ir para a porta do casino às 15h, como se via tanta gente fazer. E, depois, dizia que lá ia uma ou duas horas e acabava por ficar 12. Quando abriu o casino de Lisboa, por exemplo, eu chegava a sair do Estoril às 20 para as três para vir a acelerar porque este fechava às quatro… aquilo não tem vantagem nenhuma.”

A certeza que agora se cola às palavras na recriminação ao passado serve também para refletir sobre a nova lei do jogo online. “Não muda nada para as pessoas. Eu acho que é só para impostos. E, depois, ou os prémios ficam mais baixos ou quando pagam retiram uma parte automaticamente para os impostos. Mas também já vi que haverá sites que vão suportar esse valor…”

Quando se toca na ferida, devagarinho, usando a palavra “viciado”, João não se encolhe, mas faz uma finta à Maradona e segue por outro lado. “Vai fazer um ano que estou nos Jogadores Anónimos. Até entrar achava que estava tudo bem. O meu medo foi não conseguir apostar só dez euros. Pensei que tinha de desligar disto. Agora teria de apostar algo como 500, 600, 1.000 euros.” Este agora ex-jogador de jogo online fala com desprendimento e sem reservas sobre essas reuniões que frequenta em Carcavelos, onde 20, 30 pessoas se encontram para falar de tudo, não só de jogo. Com algum peso na voz, João recorda um rapaz que por lá passou, mas pouco tempo. “Tem 23 anos e já jogava há dois. Falei um bocado com ele e ele contou-me que deixou de sair com a namorada e que não largava o computador. Às vezes nem jantava. Deixou de aparecer”, conta.

“Só fiz mal a mim”, assegura. “Nunca falhou nada em casa, mas podia ter outras coisas. Vejo ali pessoas, nos Jogadores Anónimos (JA), que me fazem pensar. Uns já estão bem, outros ainda não, mas há histórias de quem lá chegou com quatro euros no bolso para o mês inteiro e sem nada para comer — houve um que passou um mês a comer esparguete com atum. O meu caso não foi esse — eu tenho duas casas, dois carros e uma mota –, por isso às vezes devem pensar que sou maluco quando me ponho lá a falar.”

Esse grupo de ajuda já havia sido mencionado pela sua mulher, há três anos. Três anos. Mas ele não ouviu, não quis ouvir, não estava capaz de ouvir. A única melodia que entrava nos ouvidos de João era o som mágico do cifrão a bater no fundo da conta, ou a falhar o alvo. Agora, foi por ele. “Houve lá um dos JA a perguntar se já fiz o quarto passo — quanto gastei? –, mas não vou fazer isso. Uma coisa é certa: uma das duas casas que tenho estava paga de certeza. Fiz empréstimos às Cofidis, Cetelems, etc. Aquilo acabava-se de pagar e pedia outro. À Cofidis pedi quatro vezes 4.000 euros. Não foi para comer, foi para o jogo. Ainda devo 25.000 em empréstimos…”

João chegou até a pedir 20 mil euros através da conta do pai, porque ele usufruía de um juro mais baixo. “Metade foi para o jogo. Vendi uma empresa por 14 mil euros, foi tudo para o jogo. Acabava tudo por ir para lá. Só a minha mulher é que mexe na conta agora: entreguei-lhe os cartões e tenho um recarregável. Quando é necessário, ligo-lhe e ela mete 50 euros.”

“Os jogadores acabam por destruir muita coisa. Não só o dinheiro, mas também a família.”

Resignado, vencido, diz que o jogo é “mesmo sorte”, e que é preciso saber parar. Uma amiga que trabalha no casino contou-lhe uma história que empresta solidez a esta teoria, que coloca os ventos da sorte no centro do mundo. “Dois chineses, lado a lado, estavam a jogar ao Ponto e Banca. Um apostava 10.000 no ponto e saiu 31 vezes seguidas. O outro apostava três, quatro, cinco mil euros na banca, na esperança de virar. Ele perdeu uns 140 mil e o outro ganhou 300 mil. É sorte. Mas é como ela diz: ‘ele vai lá meter tudo outra vez’.”

O maior aliado, garante, foi a sua mulher. “Ela detesta jogo, é muito poupada. Por minha causa, então, tem pavores de jogo. Os jogadores acabam por destruir muita coisa, não só o dinheiro, mas também a família. Hoje percebo isso. Há dez meses não ligava a nada disso”, afiança. E, talvez por isso mesmo, por toda a luta que tem vivido, por toda a ajuda que tem recebido, levou a mal um pedido da mulher. “Pediu-me para ligar para aqueles números 808 para um concurso da televisão para ganhar 200 mil euros. Perguntei se estava a brincar comigo, porque aquilo era jogar! Antes teria perguntado quantas vezes queria que ligasse…”

Apesar de tudo, João tem ganho esta batalha e dá a voz para alertar as pessoas. Talvez sinta esta necessidade de abrir os olhos a outros que possam entrar no labirinto sem retorno que o jogo pode transformar-se. A seguir à conversa com o Observador, João tinha agendada uma outra com um aluno universitário, para o ajudar num trabalho. Agora tem mais sossego e a harmonia familiar toca noutro tom. “Agora ficamos a ver televisão à noite, já não tenho de ir para o computador. Agora papo as novelas todas”, diz, com um sorriso de quem quer ter o seu fado na palma da mão.

Os significados políticos da prisão de Daniel Silveira – Por Rodrigo Perez

O tempo vai passando, passando. Enquanto isso, esperamos 2022 chegar, crentes de que, em caso de derrota nas urnas, Bolsonaro desmontará seus exércitos e se retirará do poder

Ainda era noite de 16 de fevereiro quando, por ordem do ministro Alexandre de Moraes, a Polícia Federal bateu na porta do deputado federal Daniel Silveira (PSL/RJ) para executar ordem de prisão. A acusação? Conspiração contra as instituições democráticas e ameaça de morte a membros do Poder Judiciário.

Daniel Silveira não é personagem desconhecido na crônica política. O parlamentar é conhecido pelo comportamento violento. Já invadiu escolas, se recusou a usar máscara em avião, agrediu jornalista. Quebrou a placa de Marielle Franco durante a campanha eleitoral, em 2018. Daniel Silveira é bolsonarista típico. É o tipo ideal bolsonarista, manifestado em carne e osso.

A prisão de Daniel Silveira diz muito sobre nossa atual situação política.

Em primeiro lugar, é importante dizer que o STF agiu com quase 30 anos de atraso. Se tivesse feito isso com o então deputado Jair Bolsonaro na primeira vez em que ele abriu a boca para fazer apologia aos crimes contra a humanidade cometidos pela ditadura militar, certamente não estaríamos onde estamos hoje. A democracia brasileira não soube se proteger.

Os legalistas dizem que Moraes errou em ameaçar a autonomia do Poder Legislativo e decretar, por ato de ofício, prisão de parlamentar eleito. Há vozes na esquerda que criticam o ministro por ter acionado a Lei da Segurança Nacional. É a lógica do “amanhã pode ser um de nós”.

Em tempos normais, as críticas até poderiam fazer sentido. Hoje não fazem. O que restou de democracia precisa ser defendido, custe o que custar. Pra confrontar os fascistas, é necessário ser um tanto bandido também. Daí, a importância de um sujeito como Alexandre de Moraes. Tomara que não seja tarde demais.

O STF jogou a bomba para a Câmara dos Deputados, a quem, pela Constituição, cabe decidir o futuro dos seus integrantes. Decisão interna corporis, pra ser fiel ao juridiquês.

O dia de ontem, 17 de fevereiro, foi atravessado por conversas e negociações. Arthur Lira (PP/AL), presidente da Câmara dos Deputados, procurou Luiz Fux, presidente do STF, para tentar acordo, uma solução mediana que evite um conflito institucional entre as duas casas e que, ao mesmo tempo, mande um recado ao presidente da República.

O ideal para a Câmara dos Deputados, hegemonizada pelo centrão, é convencer o STF a amenizar a punição. Silveira seria solto, vestindo uma tornozeleira eletrônica e submetido a medidas cautelares, talvez até mesmo mantendo o mandato. Assim, a Câmara dos Deputados diz ao presidente Bolsonaro que tem o poder de salvar, ou de empurrar para forca, parlamentares bolsonaristas, incluindo aí Eduardo Bolsonaro, um dos príncipes presidenciais, que não poucas vezes fez declarações iguais às de Silveira.

Com isso, se reforça a tendência que vem se consolidando desde a aproximação de Bolsonaro com o centrão. Parte da dita “direita tradicional” acredita ser possível conter Jair Bolsonaro, capturá-lo pela fisiologia e transformá-lo num presidente “normal”, seja lá o que isso signifique. A aposta, no limite, sugere a possibilidade de distinguir o governo (ministros, base parlamentar aliada) do bolsonarismo (ideologia política disruptiva cujo horizonte sempre será a ruptura com as instituições democráticas).

Certamente, o presidente da República não está gostando de ver o que está acontecendo com um de seus aliados mais leais. Basta lembrar que Silveira gravou uma reunião do PSL, onde o presidente da sigla, Luciano Bivar, criticava Jair Bolsonaro. Para provar sua lealdade, Silveira delatou o próprio partido! O evento deflagrou a crise que resultaria na saída de Bolsonaro do PSL, o que aconteceu em novembro de 2019.

Acho mesmo difícil que o presidente se manifeste em defesa de Daniel Silveira, pois bem sabe que ainda não reuniu condições para o enfrentamento final. O mais provável é que a cabeça de Silveira seja mesmo entregue numa bandeja de prata, sob o silêncio de Bolsonaro, em aparente rendição às instituições da República.

Assim, ganha-se tempo para acumular forças. Com a caneta Bic, Bolsonaro vai tentando armar suas milícias civis através de decretos que desmontam a legislação antiarmas. Com a chave do cofre, vai seduzindo as forças armadas com os privilégios que só o dinheiro público é capaz de garantir.

O tempo vai passando, passando. Enquanto isso, esperamos 2022 chegar, crentes de que, em caso de derrota nas urnas, Bolsonaro desmontará seus exércitos e se retirará do poder.

Como se fosse possível que, por uma epifania republicana, o presidente que jamais respeitou as regras do jogo fosse fazê-lo, justamente, no momento de passar a faixa.

É muito grave a crise em que nos metemos. O preço será pago por, pelo menos, duas gerações.

Este artigo não reflete, necessariamente, a opinião da Revista Fórum?

Nasceu no Rio de Janeiro em 30/01/1986, é historiador, tendo se formado na educação pública das primeiras letras ao doutorado. Vivendo em Salvador desde 2017, onde atua como professor de Teoria da História na Universidade Federal da Bahia, o autor pesquisa a história do pensamento político brasileiro e os usos do passado no texto historiográfico e nas narrativas políticas, temas que foram explorados nos livros “As armas e as letras: a Guerra do Paraguai na memória oficial do Exército brasileiro”, publicado pela editora Multifoco em 2013, e “Conversas sobre o Brasil: ensaios de síntese histórica”, pela editora autografia em 2017.

A inspiração na Natureza indica-nos um método infalível para ganhar dinheiro nas apostas desportivas. Trata-se da Sequência de Fibonacci, que pode ser encontrada nas flores e nas conchas, na estrutura das galáxias e na disposição dos galhos das árvores, nos fractais e até no ananás. Mas como ela funciona nas apostas? Neste breve artigo irá aprender como aplicar esta estratégia nas suas apostas desportivas.

Primeiro de tudo, deverá aplicar a Sequência de Fibonacci no futebol, mais especificamente nos empates, dado que a odd para estes é sempre superior a 3.00. No Placard, muitos empates têm uma odd inferior a 3.00, mas online, especialmente na 1xbet, as odds são muito melhores. Clique aqui, faça download gratuito do programa e instale o seu computador para poder seguir esta estratégia, cujos frutos serão bem lucrativos. A 1xbet é uma casa de apostas segura e os pagamentos são rápidos, pelo que não terá problema nenhum.

Como pode, então, aplicar a Sequência Fibonacci nas apostas desportivas? Eu vou explicar aqui como eu faço. Procure por um jogo que acredita que poderá terminar em empate. Aposte 5 € (pode começar a sequência com 1 €, mas eu começo sempre com 5 €). Se não ganhar a aposta, procure por outra partida onde o empate seja provável e aposte 8 €. Porquê 8 euros? Porque é o número seguinte na sequência, como pode ver na imagem abaixo. A Sequência de Fibonacci é a soma dos dois números anteriores.

Imagine que só acerta na quinta aposta. Você falhará quatro (5, 8, 13, 21) e na quinta aposta 34 € numa, por exemplo, odd de 3.00 para o empate. Ganhará 102 euros, sendo que gastou 81, tendo um lucro final de 21 euros. Na prática, quantos mais jogos falhar, e desde que tenha uma boa banca, o lucro será maior. No entanto, obviamente, se acertar logo na primeira aposta é muito bom. Refira-se que neste exemplo do lucro dos 21 €, indiquei uma odd de 3.00, mas o lucro será sempre maior porque as odds da 1xbet são excelentes.

Pode começar a Sequência de Fibonacci nos 5 € como eu faço, mas se quiser pode começar logo num número superior, como, por exemplo, os 21 euros. Garanto-lhe que este é a estratégia mais eficaz e segura para ganhar dinheiro nas apostas desportivas. Um empate acabará sempre por acontecer! Na minha experiência, a sequência mais longa foi um empate na oitava aposta (apostei 144 € numa odd de 4.15, o que compensou bastante as sete apostas falhadas anteriores).

Acompanhe diariamente este meu blog TORRE DE BABEL que nos próximos dias publicarei mais conteúdo útil e interessante para você aprender a ganhar dinheiro nas apostas desportivas. E não se esqueça de se registar na 1xbet! É realmente a casa de apostas que oferece as melhores odds.

Como são feitas (e manipuladas) as apostas no futebol? GE Explica

Saiba como os fraudadores conseguem movimentar uma cifra trilionária ao redor do mundo, obrigando os dirigentes e as autoridades a tomarem uma série de medidas

Diante de mais um escândalo de manipulação de resultados no futebol, o torcedor brasileiro se vê diante de um assunto complexo e muitas vezes confuso. Como as apostas são muito mais comuns no exterior, não é fácil entender os processos e os termos usados pelos apostadores. Para jogar luz nesse cenário, o GloboEsporte preparou um guia com explicações didáticas que ajudam a entender como os fraudadores conseguem alterar placares de partidas nos quatro cantos do mundo, movimentando cifras trilionárias e obrigando os dirigentes e as autoridades a tomarem uma série de medidas preventivas.

Com a atividade do jogo proibida no Brasil, os sites de apostas são implementados em locais nos quais a legislação admite esse serviço, como Londres (Inglaterra), Malta, Gibraltar e Ilhas Virgens. A maioria dos países não possui regulamentação em relação ao acesso aos sites. Portanto, apostadores asiáticos, por exemplo, podem utilizar esses sites para realizar apostas em jogos de várias partes do mundo, inclusive no Brasil.

A manipulação ocorre de várias maneiras. Na mais comum, existe um intermediário (ou aliciador), que é a pessoa que age a mando dos grandes manipuladores e se encarrega de cooptar e aliciar atletas, árbitros e treinadores para que colaborem nas fraudes. Esses intermediários costumam ser os responsáveis pelos pagamentos.

A Ásia concentra a maior parte dos grupos mafiosos que manipulam resultados. Há grupos relevantes, porém, na Rússia e em outras partes do Leste Europeu.

A combinação ideal para a fraude é: pouca visibilidade das competições, baixos salários, falta de fiscalização preventiva e possibilidade de corrupção de autoridades. Para impedir que o brasileiro invista seu dinheiro nestes sites de apostas que podem manipular resultados basta que o funcionamento destes sites seja proibido no Brasil. É assim que funciona nos Estados Unidos. Lá, os sites não podem ser acessados. O mais importante é que o Brasil regulamente a situação e aperfeiçoe a legislação que criminaliza estas condutas indevidas de apostas.

Não há como garantir que o sistema não será ventilado. No entanto, os manipuladores agem por meio de coação e ameaças. O atleta aliciado é muitas vezes objeto de chantagem, pois sabe que, se o esquema vier à tona, colocará sua carreira em risco. Os aliciadores jogam com essa insegurança.

As casas de apostas decidem, mas há um volume muito grande de jogos para todos os gostos, porque não há limite de campeonatos. Basta o torneio estar em calendários oficiais para entrar em um site de apostas.

O número de apostadores em um jogo de campeonato sem grande expressão pode interferir na validade da aposta, mas o site pode encerrar a atividade se observar movimentação estranha ou fora dos parâmetros. Afinal, é o site que honra com os prêmios.

As posições mais suscetíveis ao gol ficam mais vulneráveis. É o caso dos goleiros e zagueiros, de um lado, e atacantes, de outro. Os gols pagam mais nas apostas. Mas outros lances e ações podem ser objeto da fraude e afetar não diretamente o resultado final visível, mas contribuir para que ele não seja totalmente isento ao longo de uma partida. Aposta-se até em cobrança de lateral.

O mercado de apostas movimenta verbas de magnitude estatal mundo afora: 1,3 trilhão de euros (R$ 4,8 trilhões) somente em 2015.

Casas de apostas calculam as premiações (odds) de acordo com uma série de fatores referentes aos clubes (posição na tabela, mando de campo, últimos resultados, adversários, elenco) e atletas (posição, principais características, rendimento nos últimos jogos). São estas probabilidades que vão determinar o pagamento das premiações apostas de acordo com o valor gasto em cada aposta.

Assim como acontece em outros esportes, este é o modo mais comum de aposta. Consiste basicamente em apontar qual equipe será a vencedora do confronto. Na tripla, o objetivo é apostar num dos três desfechos possíveis de uma partida - coluna um, coluna do meio ou coluna dois. Dependendo das premiações (odds) oferecidas em alguns jogos pode ser uma boa opção. No entanto, se a indicação do vencedor for arriscada é possível apostar na dupla, que apresenta duas opções.

Apostar na dupla oportunidade: Escolher dois resultados possíveis - colunas um e do meio, colunas um e dois ou colunas do meio e dois). Costuma apresentar premiações baixas, a não ser que se aposte na equipe menos favorita, pois oferece valores mais altos pela pequena chance de ganhar. É muito utilizada em apostas múltiplas, aquelas em que é preciso acertar todos os prognósticos, para minimizar o risco das mesmas.

Apostar no Draw no Bet: Nesta opção se aposta numa equipe. Caso aconteça o empate, o dinheiro é devolvido ao apostador. Às vezes oferece premiações interessantes sem o risco da tripla.

Consiste em apontar se um time estará ganhando, perdendo, ou se o jogo estará empatado tanto no intervalo como no fim do jogo. Em duelos equilibrados, pode ser uma opção arriscada pela imprevisibilidade do resultado. Pode ser uma boa alternativa, quando o valor da aposta tripla for baixa por uma das equipes ser bem superior à outra. Neste caso, para aumentar o valor da premiação, aposta-se que esta equipe estará vencendo tanto no intervalo como também no fim do jogo.

Tipo de aposta muito usada por apostadores profissionais. Consiste em indicar se a partida terá mais ou menos que uma determinada quantidade de gols. Requer conhecimento da forma de jogar das equipes e até de meteorologia e das condições do gramado. Um time pode ter potencial ofensivo, mas se o gramado estiver encharcado em função da chuva provavelmente não balançará tanto a rede. Este tipo de aposta pode ser usado também para escanteios, impedimentos e cartões.

Realizadas no decorrer das partidas. São oferecidas várias opções de apostas referentes às situações de jogo com premiações variáveis. Requer análise criteriosa e conhecimento para prever o que vai acontecer. Neste tipo de aposta é importante que a pessoa esteja acompanhando a partida, pois às vezes as premiações (odds) não refletem com exatidão o que está acontecendo em campo. Neste caso, os apostadores podem ser induzidos a tomar decisões erradas. Também não se deve apostar que o jogo não terá mais gols nos últimos cinco minutos. Afoitos por conseguir lucro fácil, muitas vezes o apostador acaba aceitando uma premiação baixa, mas basta um golzinho para os seus planos serem frustrados.

Aposta em que o resultado não será conhecido num curto espaço de tempo, como o campeão de um campeonato. Também tem os seus riscos. Se a pessoa aposta no Barcelona para ser o campeão espanhol, e no meio da temporada o Messi se machuca, o valor da premiação provavelmente irá baixar.

Tipo de aposta que consiste em acertar o jogador que vai marcar o gol, mas que vem perdendo espaço nos últimos anos.

Tipo de aposta disponibilizada por várias casas e que vem atraindo cada vez mais adeptos. O chamado handicap é diferente do europeu, pois oferece apenas duas opções em vez de três (é excluído o empate). O termo handicap provém do inglês, que significa desvantagem. Neste tipo de aposta oferece-se uma desvantagem inicial a uma equipa que é favorita ou uma vantagem inicial à equipa teoricamente mais fraca. O apostador ganhará a sua aposta, no caso de apostar pela equipa favorita, caso ela seja capaz de superar a desvantagem inicial atribuída previamente pelo handicap. Por outro lado caso o apostador que aceite uma odd a favor da equipa não favorita ganhará a sua aposta se ela conseguir conservar a vantagem providenciada pelo handicap ou mesmo aumentá-la.

Confira um pequeno glossário de palavras e expressões usadas no mundo das apostas.

Acumulador: É um tipo de aposta múltipla.

All-in: Um termo originário no poker que significa quando um apostador, aposta todo o dinheiro da sua banca numa só aposta.

Ao vivo: Apostas que se realizam ao mesmo tempo que decorre um evento desportivo. As odds flutuam no decurso do mesmo consoante o resultado.

Apostador: É a pessoa que aposta uma quantidade indeterminada de dinheiro com o objetivo de prever o resultado de um evento desportivo.

Aposta: Risco econômico que o apostador corre ao tentar prever um resultado desportivo futuro.

Aposta a longo prazo: Uma aposta em que o desfecho só é conhecido num espaço temporal longínquo (Ex: Quem vai vencer o Brasileiro 2016?)

Aposta contra: Apostar contra um determinado resultado ou equipa. Apenas possível na Betfair.

Aposta ao vivo: Aposta em tempo real em que as odds estão constantemente a flutuar.

Apostas especiais: Está rodeado com aspectos que rodeiam a celebração de um evento. (ex: quem irá ganhar as eleições presidenciais americanas?)

Aposta múltipla: Vários prognósticos para vários eventos desportivos, que para o apostador ter lucro tem de acertar em todos.

Back: Compra de uma aposta ao nível do trading.

Bad Beat: Termo comum utilizado para denominar uma serie de apostas perdidas.

Banca (bankroll): Quantidade de dinheiro que existe numa conta pessoal de apostas.

Banker: Aposta que oferece uma probabilidade alta de êxito.

Beard: Expressão anglo-saxônica que significa barba, que designa um jogador que faz apostas mas oculta a sua verdadeira identidade.

Bónus: Estímulo financeiro que se oferece aos clientes de uma casa de apostas para angariar novos clientes para essa mesma casa; Quantidade oferecida a novos clientes no momento do primeiro depósito; ou ofertas para clientes antigos como reconhecimento pela sua antiguidade.

Bookie: Pessoa que coloca as odds de um evento desportivo. Nas apostas ao vivo se encarrega de alterá-las à medida que o evento decorre.

Bookmaker: Empresa de apostas desportivas

Casa de apostas: Empresa que oferece odds para os diferentes eventos desportivos e administra as contas dos seus clientes.

Choke: Perde uma aposta de forma inesperada.

Colocado: Uma aposta que se ganha se a equipe ou o desportista selecionado fica entre as 3 primeiras posição de uma determinada prova.

Comparativa: Tabela que agrupa o valor das odds de várias casas de apostas para um mesmo evento. Permite ao apostar verificar qual a casa que oferece os maiores benefícios.

Conta: Espaço no qual o cliente recebe os dados da sua sessão (nome de usuário, chave, saldo etc) e tem acesso às diferentes operações que a casa de apostas oferece.

Corretor de apostas: Pessoa que recebe as apostas.

DNB (draw no bet): Aposta em que o valor da aposta é devolvido em caso de empate.

Fold: Um fold (nada a ver com o termo fold usado no Poker) significa o numero de seleções utilizado num acumulador.

Forma: Aglomerado de últimos resultados de um atleta ou equipe para dar ao apostador uma percepção das suas hipóteses.

H2H (head to head): Confronto direto entre dois desportistas ou equipas.

Handicap asiático: Similar ao europeu, apenas com regras especificas e que não permite apostar no empate.

Handicap europeu: Quando se inclui uma vantagem de um gol ou mais a uma equipa teoricamente inferior para equilibrar as odds. Pode ser feito de forma inversa e retirar um ou mais gols à equipa considerada favorita.

Hedging: Significa apostar nas 2 equipas para minimizar as perdas ou garantir um lucro mínimo.

High stake: Significa uma aposta de valor alto.

Lay: Venda da aposta previamente comprada em trading.

Linha: As odds ou spreads de pontos de um determinado evento.

Low stake: Significa uma aposta de valor baixo.

Lucro: Os benefícios em termos monetários de uma aposta ganha.

Mais/Menos (Over/Under): Apostar “mais” é apostar acima de numero total de gols, apostar “menos” é apostar abaixo de um número de gols.

Margem de benefícios: Comissão cobrada pela casa de apostas para assegurar a sua rentabilidade econômica.

Martingale: Estilo de apostar em que consiste em apostar o dobro do valor da anterior aposta perdida.

Nap: A melhor aposta do dia na opinião de um expert ou tipster.

Odd (quota): Estimativa dos possíveis ganhos de uma aposta.

Off the board: Quando não são aceitas mais apostas, pois o evento já começou.

Oportunidade dupla: Aposta com 2 prognósticos para o mesmo evento desportivo.

Outsider (Underdog): O atleta ou equipe menos favorita para ganhar um determinado evento. Estes têm as odds mais altas, mas também são mais improváveis de ganhar.

P2P(person to person): Apostas estabelecidas entre apostadores individuais que definem a odd de mutuo acordo.

Par ou ímpar: Se o total de gols de um determinado jogo é para ou ímpar.

Picks: Aposta recomendada por um expert ou tipster. O mesmo que um prognóstico.

Probabilidade: Percentagem que representa as possibilidades de vitória de uma equipe.

Próximo gol: Aposta sobre que equipa marcará o próximo gol.

Quantidade apostada: Dinheiro arriscado numa determinada aposta

Resultado duplo (Halftime/Fulltime): Prever o resultado de um jogo no intervalo e no final do jogo.

Resultado exato: Aposta sobre o resultado exato de um jogo.

Score: Ganhar muito dinheiro numa aposta.

Simples: É a aposta mais simples, só é necessário acertar um resultado de um jogo.

Stake: Percentagem da banca que se vai apostar.

Steam: Quando o valor de uma odd cai de forma abrupta. Acontece normalmente quando existe uma grande numero de apostadores a apostar a favor dessa mesma odd.

Surebet: Uma combinação de odds de diferentes casas de apostas em que independentemente do resultado o apostador consegue sempre lucro.

Tipster: Pessoa que se dedica a aconselhar apostas de valor.

Trading: Técnica de apostas que consiste prever a flutuação de odds antes e durante de um evento desportivo. Consiste em comprar odds altas e vender baixo ou vice-versa. As única casas de apostas que possibilitam o trading são a Betfair e a Betdaq.

Valor: Quando um apostador identifica que uma odd está alta/baixa para um determinado evento.

Concurso TJ SP: órgão confirma estudos para novo edital

Os estudos para o novo concurso TJ SP foram oficialmente confirmados pela assessoria do órgão por meio de nota encaminhada à equipe de jornalismo do Direção Concursos (veja aqui).

De acordo com informações confirmadas pelo superintendente da Vunesp, Henrique Monteiro, as vagas serão para o cargo de escrevente, que exige nível médio.

Ainda de acordo com a autoridade, o número de vagas será “bastante generoso” e a distribuição das oportunidades será para Comarca da capital e 1ª e 4ª regiões administravas judiciárias do estado.

As tratativas entre a Vunesp e o TJ SP estão bastante avançadas e, conforme o anunciado pelo superintendente, o conteúdo para a nova seleção não deve sofrer grandes alterações se comparada ao último edital.

“O TJ SP tem um perfil mais conservador, por isso a estrutura do último edital não deverá ser alterada”, pontuou.

Quer ficar por dentro de todas as novidades sobre essa carreira? O Direção Concursos preparou um grupo no telegram com as principais notícias voltadas para a área de Tribunais. Clique aqui e participe!

Neste artigo você terá todas as informações sobre o Concurso TJ SP, como:

Situação atual

o superintendente da banca Vunesp, Henrique Luiz Monteiro, na quinta-feira (18 de fevereiro), afirmou que o Tribunal de Justiça de São Paulo já vem se movimentando e a oferta de vagas será generosa ainda no primeiro semestre (até junho).

  • “Já estamos em tratativas com o TJ SP para organizar o concurso. Possivelmente, o edital será divulgado neste primeiro semestre, com um quantitativo generoso de vagas”. Veja todo os detalhes aqui!

O último concurso, publicado em 2018, contou com a oferta de vagas para o cargo de Escrevente Técnico Judiciário, que requer apenas nível médio e prevê jornada de 8 horas por dia, ou 40 horas semanais.

O edital tinha a validade de apenas 1 ano, mas por decisão judicial foi prorrogado até 2020. Em janeiro de 2021 o órgão decidiu por revogar a validade do certame.

Remuneração TJ SP

O cargo de Escrevente Técnico Judiciário, que requer apenas nível médio, prevê jornada de 8 horas por dia, ou 40 horas semanais.

Atualmente, o expediente dos escreventes TJ SP pode ser das 9:00h às 17:00h, ou das 10:00h às 18:00h, ou ainda, das 11:00h às 19:00h com 40 minutos de intervalo para almoço.

As horas extras só são realizadas em caso de necessidade e não são remuneradas, mas o servidor público pode usar o banco de horas para tirar folga. Para um concurso de nível médio, o certame oferece uma boa remuneração.

O salário que os servidores recebem efetivamente varia muito. Segundo o portal de transparência do órgão, no mês de outubro de 2018, os recebimentos dos Escreventes chegavam até mais de R$ 18 mil.

Porém, os ganhos totais do Escrevente recém-aprovado atingem R$ 6.112,10, incluindo a remuneração inicial de R$ 4.792,10, auxílio-alimentação de R$ 45 por dia (R$ 990, considerando 22 dias) e auxílio-saúde de R$ 330.

Também é possível ganhar um adicional caso você tenha nível superior, pós-graduação, mestrado ou doutorado. Veja na tabela abaixo:

  • Nível superior: adicional de 5%
  • Pós-graduação: adicional de 7,5%
  • Mestrado: adicional de 10%
  • Doutorado: adicional de 12,5%

Importante ressaltar que os valores não são cumulativos. Veja a progressão salarial do cargo:

Regularidade do Concurso TJ SP

Como o cargo de Escrevente possui uma grande rotatividade, o TJ SP precisa realizar concursos com grande frequência. Desde 2010 tivemos OITO concursos para a função.

Os certames vão alternando entre Capital e Interior/Litoral. O último concurso TJ SP foi para o interior/litoral, em Março de 2018. O penúltimo foi para a Capital, Grande São Paulo e região de Campinas/SP, cujas provas foram aplicadas em Julho de 2017.

Último concurso TJ SP (Capital, Grande SP e Campinas)

O concurso TJ SP teve edital publicado no final de Março de 2017, e as provas foram realizadas no início de Julho do mesmo ano. Ou seja, os candidatos tiveram apenas três meses entre o edital e a prova.

Ao todo o concurso ofereceu 590 vagas e o total de inscritos foi de 233.437 pessoas, o que gerou uma concorrência de 395 candidatos por vaga. Como ocorre tradicionalmente, a seleção contou apenas com a prova objetiva.

Na prova objetiva, os blocos I e II foram de caráter eliminatório, enquanto o bloco III foi de caráter apenas classificatório. Para não ser eliminado do concurso, o candidato precisou acertar 50% das questões do bloco I e 50% das questões do bloco II.

Prova de digitação e formatação

Os candidatos com melhor classificação nas provas objetivas foram chamados para as provas práticas, que consistiu em duas provas:

  • Digitação de um texto (cerca de 1800 caracteres em 11 minutos);
  • Formatação de um texto, usando as funções comuns do Microsoft Word.

Embora sejam raros os casos de eliminação de candidatos na prova prática, é importante treinar. O professor Victor Dalton aconselha, entretanto, que o candidato se preocupe com este treino somente depois de realizar a prova objetiva.

Número de candidatos nomeados no concurso TJ SP

O TJ SP tradicionamente “zera” a lista de aprovados. Por exemplo, no penúltimo concurso da capital, haviam sido aprovados 1200 candidatos para a capital, embora o número inicial de vagas tenha sido bem menor.

Durante os 2 anos de validade do concurso, todos os 1200 foram convocados! No último concurso para a capital, porém, isso não aconteceu e frustrou muitos candidatos.

Em relação a essa última seleção, mais de 840 candidatos aprovados foram convocados somente na capital. Vale lembrar que eram apenas 400 vagas iniciais, ou seja, o TJSP já convocou mais do que o dobro dessas vagas.

Concurso TJ SP pode pedir nível superior?

Hoje é necessário ter o ensino médio para ingressar no cargo de Escrevente do TJ SP. O projeto de lei PLC 3/2018, do deputado Carlos Giannazi (PSOL), pretende elevar essa escolaridade para o nível superior.

As chances de aprovação do projeto, entretanto, são muito baixas. Isto porque o próprio presidente do TJ SP, o desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças, enviou um ofício à ALESP questionando a constitucionalidade do projeto de lei e se posicionando contrariamente.

O que um Escrevente faz?

O escrevente técnico judiciário é responsável por executar atividades relacionadas à organização dos serviços que envolvam as funções de suporte técnico e administrativo às unidades do Tribunal de Justiça.

O aprovado no concurso TJ SP trabalhará ao lado de juízes e promotores, por exemplo. Também pode ser empregado como prestador de atendimento ao público e advogados. Em resumo, o escrevente é responsável pelo suporte administrativo ao fórum.

O escrevente também pode trabalhar também em cartório civil ou criminal, onde o ocupante do cargo expedirá as determinações do juiz via despacho. Poderá emitir desde alvarás até mandados de prisão, além de uma lista extensa de documentos jurídicos de fundamental importância.

Se o profissional for designado para trabalhar diretamente com um juiz, a função envolverá a digitação de dados, bem como a confecção de documentos e dados de processos, o que garantirá o cumprimento de todos os trâmites jurídicos necessários.

Em suma, a grande função do cargo, em linhas gerais, é dar o encaminhamento correto aos processos, tudo de acordo com a decisão dos magistrados.

Conteúdo cobrado no último edital TJ SP

Depois de tantas informações sobre a carreira, continua animado para o concurso TJ SP? Se a resposta for positiva e você deseja adquirir cursos para e preparar na Direção correta, clique aqui.

Bloco I

  • 1. Análise, compreensão e interpretação de diversos tipos de textos verbais, não verbais, literários e não literários.
  • 2. Informações literais e inferências possíveis.
  • 3. Ponto de vista do autor.
  • 4. Estruturação do texto: relações entre ideias; recursos de coesão.
  • 5. Significação contextual de palavras e expressões.
  • 6. Sinônimos e antônimos.
  • 7. Sentido próprio e figurado das palavras.
  • 8. Classes de palavras: emprego e sentido que imprimem às relações que estabelecem: substantivo, adjetivo, artigo,
  • numeral, pronome, verbo, advérbio, preposição e conjunção.
  • 9. Concordância verbal e nominal.
  • 10. Regência verbal e nominal.
  • 11. Colocação pronominal.
  • 12. Crase.
  • 13. Pontuação.

Bloco II

  • 1. DIREITO PENAL: Código Penal – com as alterações vigentes até a publicação do Edital – artigos 293 a 305; 307; 308; 311-A; 312 a 317; 319 a 333; 335 a 337; 339 a 347; 350; 357 e 359.
  • 2. DIREITO PROCESSUAL PENAL: Código de Processo Penal – com as alterações vigentes até a publicação do Edital – artigos 251 a 258; 261 a 267; 274; 351 a 372; 394 a 497; 531 a 538; 541 a 548; 574 a 667 e Lei nº 9.099 de 26.09.1995 (artigos 60 a 83; 88 e 89).
  • 3. DIREITO PROCESSUAL CIVIL: Código de Processo Civil – com as alterações vigentes até a publicação do Edital – artigos 144 a 155; 188 a 275; 294 a 311 e do 318 a 538; 994 a 1026; Lei nº 9.099 de 26.09.1995 (artigos 3º ao 19) e Lei nº 12.153 de 22.12.2009.
  • 4. DIREITO CONSTITUCIONAL: Constituição Federal – com as alterações vigentes até a publicação do Edital: Título II – Capítulos I, II e III; e Título III – Capítulo VII com Seções I e II; e também o artigo 92.
  • 5. DIREITO ADMINISTRATIVO: Estatuto dos Funcionários Públicos Civis do Estado de São Paulo (Lei n.º 10.261/68) – artigos 239 a 323; e Lei Federal nº 8.429/92 (Lei de Improbidade Administrativa) – com as alterações vigentes até a publicaçãodo Edital.
  • 6. NORMAS DA CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA (disponíveis no portal do Tribunal de Justiça – site: www.tjsp.jus.br, na área Institucional / Corregedoria / Normas Judiciais), com as alterações vigentes até a data da publicação do Edital:
    • a) Tomo I – Capítulo II: Seção I – subseções I e II;
    • b) Tomo I – Capítulo III: Seções I, II, V, VI, VII;
    • c) Tomo I – Capítulo III: Seção VIII – subseções I, II e III;
    • d) Tomo I – Capítulo III: Seções IX a XV, XVII a XIX;
    • e) Tomo I – Capítulo XI: Seções I, IV e V;
    • f) Tomo I – Capitulo XI: Seção VI – subseções I, III, V e XIII.

Bloco III

  • Questões relacionadas a fatos políticos, econômicos, sociais e culturais, nacionais e internacionais, ocorridos a partir do 2.° semestre de 2016, divulgados na mídia local e/ou nacional.

  • 1. Operações com números reais.
  • 2. Mínimo múltiplo comum e máximo divisor comum.
  • 3. Razão e proporção.
  • 4. Porcentagem.
  • 5. Regra de três simples e composta.
  • 6. Média aritmética simples e ponderada.
  • 7. Juros simples.
  • 8. Equação do 1.º e 2.º graus.
  • 9. Sistema de equações do 1.º grau.
  • 10. Relação entre grandezas: tabelas e gráficos.
  • 11. Sistemas de medidas usuais.
  • 12. Noções de geometria: forma, perímetro, área, volume, ângulo, teorema de Pitágoras.
  • 13. Resolução de situações-problema.

Informática

  • MS-Windows 10: conceito de pastas, diretórios, arquivos e atalhos, área de trabalho, área de transferência, manipulação de arquivos e pastas, uso dos menus, programas e aplicativos, interação com o conjunto de aplicativos
  • MS-Office 2016, MS-Word 2016: estrutura básica dos documentos, edição e formatação de textos, cabeçalhos, parágrafos, fontes, colunas, marcadores simbólicos e numéricos, tabelas, impressão, controle de quebras e numeração de páginas, legendas, índices, inserção de objetos, campos predefinidos, caixas de texto.
  • MS-Excel 2016: estrutura básica das planilhas, conceitos de células, linhas, colunas, pastas e gráficos, elaboração de tabelas e gráficos, uso de fórmulas, funções e macros, impressão, inserção de objetos, campos predefinidos, controle de quebras e numeração de páginas, obtenção de dados externos, classificação de dados.
  • Correio Eletrônico: uso de correio eletrônico, preparo e envio de mensagens, anexação de arquivos. Internet: navegação internet, conceitos de URL, links, sites, busca e impressão de páginas.

Raciocínio Lógico

  • Visa avaliar a habilidade do candidato em entender a estrutura lógica das relações arbitrárias entre pessoas, lugares, coisas, eventos fictícios; deduzir novas informações das relações fornecidas e avaliar as condições usadas para estabelecer a estrutura daquelas relações. Visa também avaliar se o candidato identifica as regularidades de uma sequência, numérica ou figural, de modo a indicar qual é o elemento de uma dada posição. As questões desta prova poderão tratar das seguintes áreas: estruturas lógicas, lógicas de argumentação, diagramas lógicos, sequências.

Resumo do concurso TJ SP

  • Situação: ANUNCIADO
  • Concurso: Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (Concurso TJ SP)
  • Banca organizadora: Fundação Vunesp
  • Cargo: Escrevente Técnico Judiciário
  • Escolaridade: nível médio
  • Número de vagas: a definir
  • Remuneração: iniciais de R$ 4.473,16 + benefícios
  • Previsão p/ publicação do edital: junho de 2021

Veja uma análise de como estudar para o concurso TJ SP abaixo:

As principais notícias do mundo dos concursos públicos em um lugar. Conheça o canal Direção News e se inscreva: clique aqui e confira!

Ibovespa (BVSP)

Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos neste site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas neste site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos neste site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.



Publicar comentário
Procurar


Para você
Artigos sobre o tema Apostas online
13-05-2021
Palácio dos Desportos de Torres Novas recebe prova de acesso à Liga Placard de Futsal
Palácio dos Desportos de Torres Novas recebe prova de acesso à Liga Placard de Futsal

O Palácio dos Desportos de Torres Novas recebe, entre os dias 16 e 20 de Setembro, a prova de acesso à Liga Placard de futsal...

02-05-2021
Por que motivo me cobraram por um levantamento de dinheiro?
Por que motivo me cobraram por um levantamento de dinheiro?

Selecione o paГ­s no qual o seu contrato de utilizador da Revolut foi celebrado antes de utilizar as nossas Perguntas frequentes...

26-04-2021
Bem-vindo à OneFootball
Bem-vindo à OneFootball

O Atlético-MG confirmou, neste sábado, a contratação do meia argentino Nacho Fernández, do River Plate...