X 22bet

Como criar uma entidade e referencia para pagamentos

Deslocou-se ao supermercado naquela fatídica sexta-feira à pressa para comprar uma garrafa de vinho para o jantar com os amigos, para o qual já estava largamente atrasado. Não teve tempo de levantar dinheiro, dirige-se à caixa, apresenta o seu cartão e eis que lhe dizem a famosa frase “Não aceitamos pagamentos com Multibanco abaixo de cinco euros”. Mas porquê? É o que vai descobrir neste artigo.

Pagamentos com multibanco: os argumentos são simples…
Já se deve ter perguntado várias vezes porque é que a maior parte dos estabelecimentos comerciais não aceita pagamentos com multibanco abaixo de um limite mínimo de cinco euros. É fácil de explicar.

Para além dos custos que todos os comerciantes têm com os Terminais de Pagamento Automáticos (as máquinas através das quais utiliza o seu cartão para pagar nos diversos estabelecimentos), os quais veremos mais em detalhe ao longo do artigo, a verdade é que o custo percentual de utilização do cartão abaixo de um certo montante é muito elevado para o comerciante.

Por cada transação que é efetuada, existe sempre uma taxa fixa e um limite mínimo, em euros, que é aplicado sobre o valor da compra e que o comerciante paga ao banco. Por exemplo, se esses custos forem fixados em 0,90% e um mínimo de 0,06 euros, como é habitual, e se um consumidor comprar algo por 3,33 euros, o custo dessa transação, como tem um mínimo de 0,06 euros, já ultrapassa os 0,90%, chegando a 1,8%. E quem perde com isto é o comerciante.

Na realidade, os 0,90% sobre a transação só se aplicam se a compra for superior a 6,66 euros, caso contrário, se a compra for abaixo deste valor, o custo para o comerciante vai ser proporcionalmente superior. Isto acontece precisamente por causa do limite mínimo.

Vejamos então quanto despendem os comerciantes por disponibilizarem pagamentos com Multibanco aos clientes.

Quais são os encargos de um TPA para o comerciante?
Um comerciante que aceite este modo de pagamento no seu estabelecimento incorre em dois tipos de gastos: por um lado, pela requisição e manutenção do equipamento do TPA e, por outro lado, pela realização das transações por parte dos clientes.

De cada vez que um consumidor paga as suas compras/serviços com o cartão, o comerciante possui um custo associado a essa transação: é a chamada Taxa de Serviço do Comerciante (TSC), que varia conforme o cliente decida pagar a crédito ou a débito e consoante a marca de cada função, traduzindo-se numa percentagem aplicada sobre o valor da venda.

Mas nem tudo são desvantagens…
Tomando como exemplo o caso do senhor Armindo, dono de um restaurante situado num bairro problemático onde até costuma haver muitos assaltos, este proprietário dispõe de um TPA que permite receber os pagamentos dos clientes em segurança sem preocupações com trocos na caixa.

Além disso, se houver um freguês que deseje pagar o jantar a crédito, o senhor Armindo também não corre o risco de ter créditos de cobrança duvidosa e ser enganado com fraudes. Ademais, poupa tempo nas infindáveis deslocações ao banco para efetuar depósitos, dado que o dinheiro entra diretamente na sua conta.

Os estabelecimentos com TPA também costumam ser mais atrativos para os clientes nos dias de hoje, uma vez que acabam por ter maior flexibilidade. É benéfico para o cliente e igualmente para o proprietário – o único senão é não ser isento de custos.

Veja o passo a passo de uma Transferência Internacional

Veja o passo a passo de uma Transferência Internacional

Envie dinheiro para o exterior

Envie dinheiro para o exterior

O envio de dinheiro para o exterior (transferência internacional) pode ser feito em bancos tradicionais (online ou presencial), pelos correios, em casas de câmbio ou em plataformas digitais específicas.

Envie e receba dinheiro do exterior com a segurança, praticidade e conveniência que só a maior empresa de câmbio pode oferecer. Veja o passo a passo da operação na Travelex Confidence.

Passo #2
Defina o valor da Transferência Internacional e o país de envio
Lembrando que na Travelex Confidence, é possível fazer a operação nas seguintes moedas: USD – Dólar Americano, EUR – Euro, GBP – Libra Esterlina, AUD – Dólar Australiano, CAD – Dólar Canadense, CHF – Franco Suíço, NOK – Coroa Norueguesa, SEK – Coroa Sueca, DKK – Coroa Dinamarquesa, NZD – Dólar Neozelandês, ZAR – Rand, CNY – Yuan e JPY – Iene).

Passo #3
Para o cadastro, tenha em mãos os seguintes documentos: CPF, RG ou CNH, Dados bancários, Documento pertinente ao tipo de remessa (ex: fatura/invoice, contratos de compra e venda ou prestação de serviço etc). É bem simples e rápido!

Passo #4
É importante saber qual a natureza da sua operação ou, como chamamos por aqui, motivo da operação. Esta informação é uma circular do Banco Central (de dezembro de 2013) e é ela que definirá qual será o IOF cobrado em sua operação.
Além disso, quando a sua operação ultrapassar 10.000 USD, você também precisará incluir esse motivo na declaração do seu Imposto de Renda.

Saiba qual a natureza da sua Transferência Internacional:
Manutenção de Residente (Envie dinheiro para filhos fazendo intercâmbio ou familiares diretos que hoje moram no exterior) – IOF aplicado: 0,38%
Disponibilidade no Exterior (Transferência de valores entre contas de mesma titularidade) – IOF aplicado: 1,1%
Curso (Pague cursos no exterior) – IOF aplicado: 0,38%
Serviços Diversos (Pague serviços ou tratamentos médicos) – IOF aplicado: 0,38%
Serviços Turísticos (Pagamento de hospedagens, aluguel de carro, cruzeiro marítimo, entre outros serviços relacionados ao turismo) – IOF aplicado: 0,38%
Encomendas Internacionais (Pagamento de compras feitas no exterior) – IOF aplicado: 0,38%
Empréstimo Internacional – IOF aplicado: 0,38%
Investimento (Envie dinheiro para fora e invista em aplicações financeiras internacionais) – IOF aplicado: 0,38%
Aporte de Capital (Compra de capital social de uma empresa ou cota de fundo de investimentos internacional) – IOF aplicado: 1,1%
Manutenção de Estudante (Envie dinheiro para filhos fazendo intercâmbio ou familiares que hoje moram no exterior) – IOF aplicado: 0,38%

Passo #5
Agora é só fazer a sua operação! :)

Ah, claro! Algumas dúvidas costumam surgir antes de fazer o envio do dinheiro e isso é bem normal! Por isso, separamos as mais frequentes. Dá uma olhadinha, pois ela também pode ser sua:

Até 1 dia útil, mas pode variar de acordo com o valor da operação e país de destino. Além disso, também oferecemos as transferências expressas, em que o envio do dinheiro para outro país é feito em poucos minutos e não há necessidade de ter uma conta bancária internacional. Aqui, na Travelex Confidence, contamos com a parceria da MoneyGram para essas operações.

Quais os limites mínimo e máximo da operação

Pela Travelex Confidence, o valor mínimo para envio é de 100 USD e o máximo é de 100.000 USD ou o equivalente em outra moeda estrangeira. E é aqui que está um dos nossos principais benefícios, já que para operações acima dos 100.000 USD, nossos especialistas em câmbio do Travelex Bank estão prontos para te ajudar!

Quais são as tarifas e impostos cobrados para enviar o dinheiro ao exterior

Independentemente do país, quantidade ou moeda escolhida, o primeiro envio é grátis e só a partir da segunda operação, é cobrada uma tarifa administrativa de R$ 9,90, no E-commerce e no Aplicativo (disponível para iOS e Android). Já para as lojas físicas ou Mesas de Operações (chat, e-mail ou telefone), a tarifa administrativa é de 30 USD.

Para a maioria das operações de câmbio, inclusive as Remessas e Pagamentos Internacionais Travelex Confidence, poderá haver cobrança do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), descritas acima.

Para quais países posso enviar dinheiro

A Travelex Confidence trabalha com uma lista de países reconhecidos pelo Banco Central e a partir dela são avaliados aqueles que podemos realizar as transferências internacionais. Veja abaixo uma lista de países em que somos proibidos de operar:
Afeganistão; Cuba; Iémen; Irã; Iraque; Líbia; Mauritânia; Mianmar (Birmânia); Sudão do Sul (Rep. do Sudão do Sul); Paquistão; Coréia do Norte; República da África Central (Rep. Centro-Africana); Síria; Somália; Sudão (Rep. do Sudão); Venezuela.

Fisco vai criar de forma automática planos de prestações para dívidas de IRS e IRC

Fisco vai criar de forma automática planos de prestações para dívidas de IRS e IRC

O fisco vai passar a disponibilizar de forma automática a possibilidade de as dívidas de IRS e IRC até cinco mil e 10 mil euros, respetivamente, serem pagas em prestações.

O documento e a referência para pagamento de cada prestação têm de ser depois obtidos através do Portal das Finanças

O fisco vai passar a disponibilizar de forma automática a possibilidade de as dívidas de IRS e IRC até cinco mil e 10 mil euros, respetivamente, serem pagas em prestações, segundo um despacho publicado esta segunda-feira no Portal das Finanças.

A medida pretende facilitar o mecanismo de pagamento em prestações de valores relativos àqueles dois impostos de que os contribuintes já dispõem atualmente, nomeadamente a possibilidade de aderirem de forma simplificada a um plano prestacional até 15 dias após a data limite de pagamento do imposto indicada na nota de cobrança.

Este despacho vem, assim, determinar que passa a ser a Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) a criar de forma automática um plano prestacional no final do prazo que o contribuinte teria para o fazer, quando verifique que este não o fez.

“O plano prestacional é criado pela AT quando se mostre findo o prazo para solicitar o pedido de pagamento a prestações (…) equivalendo àquele pedido o pagamento da primeira prestação”, refere o diploma que determina ainda que a cabe à AT proceder “à notificação dos contribuintes dos planos prestacionais” criados no âmbito deste despacho.

No caso do IRS, os contribuintes que receberam uma nota de cobrança e ainda não procederam ao pagamento do imposto teriam até ao dia 15 de setembro para submeter um pedido de pagamento a prestações. Com o disposto neste despacho, mesmo que não façam esse pedido, a AT cria de forma automática um plano prestacional para pagarem o valor em falta.

A medida simplifica e amplia as possibilidades de pagamento e é mais um meio de evitar que uma dívida avance para processo executivo, o que implica sempre custos acrescidos em coimas e custas.

Tal como prevê o processo simplificado de adesão aos planos prestacionais para dívidas de IRS (de valor igual ou inferior a cinco5 mil euros) e de IRC (de valor igual ou inferior a 10 mil euros), que não implicam a prestação de garantias, também neste caso “o pagamento da primeira prestação ocorre até ao fim do mês seguinte ao da criação do plano pela AT e o pagamento das prestações seguintes até ao final do mês correspondente”.

O número de prestações é calculado tendo em conta o valor em dívida, podendo ir até um máximo de 12, com o valor mínimo de 102 euros. Assim uma dívida entre 204 e 350 euros, por exemplo, será automaticamente dividida em duas prestações.

O documento e a referência para pagamento de cada prestação têm de ser depois obtidos através do Portal das Finanças, sendo que a falta de pagamento de qualquer das prestações implica o vencimento imediato das seguintes e a instauração do processo de execução fiscal pelo valor em dívida.

O despacho do secretário de Estado Adjunto e dos Assuntos Fiscais justifica a medida com a atual conjuntura em que empresas e famílias se confrontam com quebra de rendimentos e pela necessidade de apoiar os contribuintes no cumprimento voluntário.

Além disso, no atual quadro de obtenção de diversos incentivos, nomeadamente o acesso a fundos comunitários, é necessário que os contribuintes tenham a situação fiscal regularizada – o que sucede se tiverem um plano de pagamento de dívidas em prestações ativo e válido.

Esta solução dirige-se a dívidas que se encontrem ainda em fase de cobrança voluntária e a contribuintes que tenham a sua situação fiscal regularizada, isto é, que não tenham dívidas de outros impostos. É, além disto, apenas válida para dívidas que se vençam até 31 e dezembro deste ano.

No início deste mês, fonte oficial do Ministério das Finanças disse à Lusa que a AT tinha deferido 80.112 pedidos de pagamento do IRS em prestações de valor inferior a 5.000 euros.

UNICRE Open Banking

1. O que é o Open Banking?

1. O que é o Open Banking?

O Open Banking é um movimento do sector financeiro que pretende alargar o leque de serviços disponibilizado aos seus Clientes, quer pela concretização de parcerias com fintech já estabelecidas ou startups; quer pela disponibilização aos seus Clientes, do acesso à sua informação na Instituição através de outras entidades prestadoras de serviços de pagamentos (PSP – Payment Service Providers).

Este movimento foi impulsionado com a revisão da Directiva de Serviços de Pagamento (PSD2 – Payment Service Directive). Esta Directiva visa a criação de um mercado único de serviços de pagamentos na Europa, potenciador da inovação, da segurança dos pagamentos e de concorrência com igualdade de condições de acesso para todos os prestadores de serviços de pagamentos.

2. Novos Serviços

O Regulamento Delegado 2018/389 da Comissão Europeia que completa a PSD2 estabelece as condições para a segurança das comunicações entre as entidades que integram o mercado de pagamentos e entre estas e os seus Clientes. Em setembro de 2019, os PSP previamente autorizadas e com o consentimento dos Clientes passam a poder ter acesso à informação das contas de pagamentos contas e a desencadearem, quando devidamente autorizados, operações de pagamento em nome dos seus Clientes.

Disponibilidade de Fundos

Um Emitente de Cartões de Pagamento (CBPII – Card Based Payment Instrument Issuer), poderá validar a disponibilidade de um determinado montante na(s) conta(s) às quais o Cliente deu previamente autorização de acesso.

Com a concessão de autorização prévia, as Instituições Financeiras não exigirão autenticação do Cliente no momento da verificação da disponibilidade de fundos.

Iniciação de Pagamentos

O Cliente de uma Instituição Financeira, pode iniciar uma ordem de pagamento sobre a conta por si titulada nessa instituição através de um Prestador de Serviços de Iniciação de Pagamentos (PISP – Payment Initiator Service Provider).

Com base na informação relacionada com a transação disponibilizada pela Instituição Financeira, o PISP informará o Cliente e o beneficiário da ordem de pagamento das respetivas condições (datas, custos e beneficiários).

As Instituições Financeiras poderão, com base no risco e tipologia dos pagamentos solicitados, solicitar ao seu Cliente que se autentique.

Informação de Conta

O Prestador de Serviços de Informação de Conta (AISP – Account Information Service Provider) pode aceder à informação das contas de pagamento de que o Cliente é titular numa Instituição Financeira, incluindo informação relativa a saldos e movimentos (transações).

O Cliente dará consentimento ao AISP para aceder à informação da(s) conta(s) com a regularidades previamente definida entre ambos, podendo este acesso ser desencadeado pelo AISP, sem necessidade de intervenção do Cliente.

As Instituições Financeiras solicitarão regularmente a autenticação do seu Cliente.

A UNICRE como detentora de contas de pagamento (contas cartão), aderiu à plataforma desenvolvida pela SIBS FPS para a comunidade bancária nacional. O SIBS API Market disponibiliza todos os interfaces previstos na Directiva de Pagamentos (PSD2) à comunidade de developers e Entidades que tenham interesse em criar um mercado mais aberto e com maior valor para os Clientes.

Através do SIBS API Market, os interessados terão acesso a toda a documentação relativa às API para acesso às contas dos Clientes, bem como a um conjunto de serviços de suporte e ambientes de testes.

Todos os interessados devem subscrever os diferentes fóruns para que se mantenham informados de todas as evoluções e alterações relacionadas com cada uma das API disponibilizadas.

Contabilidade Financeira Explicada - Manual Prático - 4ª edição

Pela abordagem dos temas e conteúdos apresentados esta 4ª edição constitui um bom manual de apoio à aprendizagem e aplicação da contabilidade.

Este livro resulta da experiência adquirida pelos autores quer na sua atividade de consultadoria empresarial quer no âmbito da sua atividade de formação e ensino e trata de forma rigorosa os conceitos relevantes para a contabilidade, assim como o enquadramento normativo das operações e outros acontecimentos na esfera empresarial.

Com uma linguagem acessível, acompanhada de figuras, quadros e exemplos, de forma a tornar mais compreensíveis os diferentes temas.

De modo a despertar o interesse nos temas abordados, o livro recorre à participação dos leitores através de inúmeros questionários colocados às aplicações apresentadas.

A obra apresenta uma abordagem ampla da contabilidade financeira e está estruturado em 6 capítulos:

1º capitulo - enquadramento das entidades e importância da contabilidade

2º e 3º capítulos - património, suas modificações, conceitos fundamentais de contabilidade e da técnica contabilística

5º capitulo - reconhecimento e mensuração das operações empresariais, de acordo com as Normas Contabilísticas e de Relato Financeiro

6º capitulo - operações periódicas de apuramento, designadamente o apuramento do IVA, dos resultados e do imposto sobre o rendimento das entidades.

Público alvo: estudantes, profissionais e outros interessados pela contabilidade.

Uma obra adotada em diversas instituições de ensino superior para os cursos de Contabilidade e Gestão.

“O universo das questões abrangidas confere ao presente livro uma característica não muito usual nos manuais da contabilidade, o que o singulariza dos restantes, atento o grande esforço de integração que é feito de enquadrar a contabilidade especificamente nas empresas. “

“Considero o presente livro uma importante ferramenta para o enriquecimento e consolidação do conhecimento sobre a contabilidade e para uma mais consolidada consciência do seu rigor, desenvolvimento e capacidade para dar resposta às necessidades das empresas.”

Bastonário da Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas

Licenciado em Gestão Financeira, MBA em Gestão Empresarial e pós-graduado em Contabilidade pela Universidade do Algarve. Especialista em Contabilidade e Fiscalidade. Docente na Universidade do Algarve, Contabilista Certificado

com atividade profissional e formador de ações destinadas a profissionais de contabilidade. Coautor de livro e com publicações na área da contabilidade.

Doutor em Administração Empresarial pela Universidade de Huelva, docente em cursos de licenciatura e mestrado na Universidade do Algarve. Formador em ações destinadas a profissionais de contabilidade. Contabilista

Certificado. Coautor de livro, artigos e comunicações em congressos nacionais e internacionais.

Mestre em Gestão, pela Universidade do Algarve. Docente em cursos de licenciatura e mestrado na Universidade do Algarve. Formadora em ações destinadas a profissionais de contabilidade. Contabilista Certificada. Coautora de diversos livros, artigos e comunicações em congressos nacionais e internacionais.

Licenciada em Gestão Financeira, com pós-graduações em Fiscalidade e Contabilidade pela Universidade do Algarve. Docente na Universidade do Algarve, Contabilista Certificada com atividade profissional e formadora em cursos profissionais. Coautora de livro na área da contabilidade.

Profissionais das forças e serviços de segurança e outras entidades que trabalham nos aeroportos de Lisboa, Porto e Faro realizam hoje um protesto naquelas estruturas para se manifestarem contra o pagamento dos estacionamentos.

O protesto, que se realiza às 11:00 em simultâneo nos três aeroportos, é organizado pelo Sindicato da Carreira de Investigação e Fiscalização do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP), Associação dos Profissionais da Guarda (APG/GNR) e Associação Sindical dos Profissionais da Inspeção Tributária e Aduaneira.

Em causa está, segundo os sindicatos, a avença de estacionamento que a ANA-Aeroportos decidiu começar a cobrar aos elementos da PSP, GNR, SEF e Autoridade Tributária que exercem funções nos aeroportos do país.

As estruturas que representam estes profissionais referem que os profissionais têm sido informados pela entidade gestora dos parques de estacionamento de que as avenças e estacionamento só serão renovadas de forma gratuita até 28 de fevereiro de 2021, passando a ser pagas a partir dessa data.

“A ANA decidiu terminar as avenças de cortesia o que implica que não haja estacionamento gratuito em torno dos aeroportos, os polícias estão a garantir um serviço de segurança não estão numa empresa ou num comércio”, disse à agência Lusa o presidente da ASPP, Paulo Santos.

Num comunicado conjunto, os sindicatos referem que “os horários de trabalho em vigor, por turnos, 24 horas por dia, sete dias por semana, bem como as características específicas do trabalho realizado pelos elementos das autoridades que asseguram as funções essenciais de um aeroporto, decorrem do próprio interesse dos aeroportos e das companhias de aeronavegação que lá operam e tornam o uso de transportes públicos inviável na maioria das circunstâncias”, sendo, por essa razão, o uso de viatura própria “uma imposição e não uma alternativa”.

Para os sindicatos e estruturas representativas dos elementos do SEF, PSP, Autoridade Tributária e Aduaneira e GNR, esta atitude por parte da ANA revela “falta de respeito pelo profissionalismo de quem garante a segurança daquelas infraestruturas num contexto de escassez de recursos humanos que todos conhecem e reconhecem”.

Rádio Popular com novo Centro Logístico

A Rádio Popular, empresa líder em eletrónica de consumo em Portugal, investiu num novo Centro Logístico que irá instalar em Santa Maria da Feira, na VGP Park. O novo centro vai abrir a partir do outono e reforça, assim, a rede de distribuição e abastecimento da empresa.

O novo Centro Logístico da Rádio Popular terá uma área de cerca de 30.000m 2 , num investimento que irá permitir à empresa continuar o seu plano de crescimento de lojas, bem como consolidar a loja online.

O VGP Park, em Santa Maria da Feira, foi o primeiro investimento em Portugal da multinacional belga VGP, promotora de parques industriais, e conta com uma área de 73.500m 2 para instalação de diferentes atividades industriais e logísticas.

Emídio Sousa, presidente da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira, congratula-se pelo investimento realizado no concelho, destacando o importante fator de desenvolvimento para a região, que poderá criar “cerca de 100 novos postos de trabalho”.

Já Ilídio Silva, CEO da Rádio Popular, refere que este investimento surge numa altura importante para a logística da empresa, assumindo que o projeto irá “permitir a introdução de melhorias com impacto na eficiência e resultados da organização”.

LisboaBiz – Av. Engenheiro Arantes e Oliveira, n.º 3 R/C

Quer ver a sua empresa nos eventos da PME Magazine?

Contacte-nos através do e-mail [email protected]

Damos valor à sua privacidade

Para melhorar a sua experiência, utilizamos cookies para recolher estatísticas, otimizar a funcionalidade do site e apresentar conteúdo de acordo com os seus interesses.

Com a sua permissão, nós e os nossos parceiros podemos usar dados de localização geográfica e identificação através da digitalização do dispositivo. Pode clicar para consentir com o nosso processamento e o dos nossos parceiros. Como alternativa, pode aceder a informações mais detalhadas e alterar as suas preferências antes de consentir ou recusar o consentimento. Algum do processamento dos seus dados pessoais pode não exigir o seu consentimento, mas tem o direito de se opor a esse processamento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Termos, Condições e Política de Privacidade

Entende-se por “conteúdo do site“, toda a informação presente neste portal, nomeadamente texto, imagens, ilustrações, design gráfico, webdesign e software.

Os direitos de propriedade intelectual sobre todos os conteúdos da revista online que não sejam de fornecimento externo e como tal devidamente identificados, são da titularidade da Massive Media, Lda. ,encontrando-se, como tal, protegidos nos termos gerais de direito e pela legislação nacional e internacional existente relativa à proteção da propriedade industrial, dos direitos de autor e direitos conexos, bem como pela lei da criminalidade informática.

Este website contém ainda textos, ilustrações e fotografias que não podem ser copiados, alterados ou distribuídos sem a autorização expressa dos seus autores.

É expressamente proibida a cópia, alteração, reprodução, exibição, difusão, distribuição, armazenamento, transmissão ou utilização dos conteúdos deste website, por qualquer forma ou para qualquer propósito, sem a prévia autorização expressa da Massive Media, Lda. ou dos seus autores relativamente ao conteúdo que se encontra licenciado e devidamente identificado.

A Massive Media, Lda. e/ou seus diretores e funcionários rejeitam qualquer responsabilidade pela usurpação e uso indevido de qualquer conteúdo do presente website.

A Massive Media, Lda. reserva-se o direito de atuar judicialmente contra os autores de qualquer cópia, reprodução, difusão, exploração comercial não autorizadas ou qualquer outro uso indevido do conteúdo deste website, rejeitando qualquer responsabilidade por qualquer uso indevido do mesmo, por terceiros.

Condições de utilização
O Utilizador poderá descarregar ou copiar material estritamente para uso pessoal, mantendo-se a Massive Media, Lda., titular dos respetivos direitos de autor.

O Utilizador obriga-se a não atacar ou usar ilicitamente os sistemas ou websites da Massive Media, Lda., sendo responsabilizado e suportando todos os custos associados a ações ilícitas que lhe sejam atribuídas.

a) Aceder a uma área/conta não autorizada e respetiva informação;
b) Testar e avaliar a vulnerabilidade do sistema e quebrar a segurança instalada;
c) Instalar ou tentar instalar um vírus no portal;
d) Envio de e-mails não solicitados que incluam promoções ou publicidade a produtos ou serviços;
e) Desencadear ou tentar desencadear ataques tipo “denial of service” (tentativa de tornar os recursos de um sistema indisponíveis para seus Utilizadores).

A Massive Media, Lda. reserva-se o direito de interromper ou suspender o acesso a este website, pelo período que entenda necessário, por quaisquer razões de ordem técnica, administrativa, de força maior ou outras. Sem prejuízo do disposto no número anterior, a Massive Media, Lda. não poderá ainda ser responsabilizada por qualquer suspensão ou interrupção de acesso que venha porventura a ocorrer por causa que não lhe seja imputável ou que seja imputável a título de mera negligência.

Os Utilizadores deste website declaram e garantem que conhecem perfeitamente as características e os constrangimentos, limitações e defeitos da Internet, e nomeadamente que as transmissões de dados e de informações via Internet beneficiam apenas duma fiabilidade técnica relativa, circulando em redes heterogéneas de características e capacidades técnicas diversas, que perturbam o acesso ou que o tornam impossível em certos períodos. Os Utilizadores reconhecem que qualquer site/portal está sujeito a intromissões de terceiros não autorizados e que pode consequentemente ficar interrompido, e que as informações que circulam na Internet não estão protegidas contra eventuais desvios (acesso livre), contra eventuais vírus, e que qualquer pessoa é susceptível de criar uma ligação com acesso ao site/portal e/ou a elementos lá contidos, aceitando correr os riscos inerentes.

A Massive Media, Lda. não pode, em caso algum, ser responsabilizada por danos acidentais ou voluntários sofridos pelos Utilizadores e provocados ou não por terceiros no âmbito da utilização dos serviços fornecidos nos sites ou em outros lugares na Internet a que tenham tido acesso através dele.

A Massive Media, Lda. não é responsável por quaisquer danos que possam ser causados pela utilização do serviço, incluindo a contaminação de vírus.

Sem prejuízo do compromisso de confidencialidade (que se deve ter como uma obrigação de meios) referente à utilização de dados pessoais (ver política de privacidade infra), a Massive Media, Lda. alerta que existem riscos relacionados com a Internet e bases de dados, sendo possível que os dados pessoais constantes do portal possam ser captados e/ou transferidos por terceiros, nomeadamente em países onde os sistemas de proteção de bases de dados pessoais encontrem-se ainda em fases pouco desenvolvidas e onde a proteção é escassa e ineficaz.

Os Utilizadores ao acederem a este website deverão aceitar correr os riscos inerentes à sua atividade como internauta, nomeadamente o risco de eventual transferência de dados em aberto.

Dados pessoais são qualquer informação, de qualquer natureza e independentemente do respetivo suporte, incluindo som e imagem, relativa a uma pessoa singular identificada ou identificável.

É considerada identificável a pessoa singular que possa ser identificada, direta ou indiretamente, designadamente por referência a um nome, número de identificação, dados de localização, identificadores por via eletrónica ou a um ou mais elementos específicos da sua identidade física, fisiológica, genética, mental, económica, cultural ou social.

Em que consiste o tratamento de dados pessoais?

O tratamento de dados pessoais consiste numa operação ou conjunto de operações efetuadas sobre dados pessoais ou conjuntos de dados pessoais, através de meios automatizados, ou não, nomeadamente a recolha, o registo, a organização, a estruturação, a conservação, a adaptação ou alteração, a recuperação, a consulta, a utilização, a divulgação, difusão, comparação, interconexão, a limitação, o apagamento ou a destruição.

Quais são os tipos de dados pessoais que tratamos e qual a finalidade do respetivo tratamento?

Para podermos prestar-lhe os nossos serviços ou enviar-lhe as nossas comunicações, necessitamos de tratar os seus dados pessoais. Para facilidade de compreensão do fundamento e das condições do tratamento dos seus dados pessoais, optamos por enunciar as formas que os disponibilizemos:

1 Envio de newsletters electrónicas com conteúdos e participação de marcas, produtos, serviços e empresas terceiras (anunciantes) através de email: recolha dos dados pessoais nome, email, empresa e consentimento de política de privacidade;

2 Marketing direto e envio de informação sobre os produtos e campanhas da empresa e marcas associadas através de email: recolha dos dados pessoais de nome, email, contacto telefónico e consentimento de política de privacidade;

3 Perfilagem, segmentação comercial e análise de perfis de consumo de utilizadores, subscritores e assinantes: recolha dos dados pessoais de nome, morada, género (sexo), data de nascimento, profissão, habilitações literárias, país, localidade, número de telefone, email, hábitos de consumo nas plataformas digitais (site e app), histórico de subscrições ou remissões de vouchers, frequência de visita, com consentimento e prazo de retenção até retirada do consentimento;

4 Processamento de encomendas efetuadas no presente website: recolha de dados pessoais como nome, morada, número de telefone, email e dados bancários para fins de execução contratual e prazo de retenção até à retirada do consentimento;

5 Faturação de compras efetuadas no presente website: recolha de dados pessoais como nome, morada e número de identificação fiscal, para efeitos da obrigação legal designadamente no artigo 29º, número 1, alínea b) do código do IVA, com prazo de retenção de 10 (dez) dias após a emissão de fatura nos termos do artigo 52º , número 1 do código do Iva;

6 Processamento de pedidos de informação e gestão de eventuais reclamações apresentadas pelo utilizador relativamente a produtos disponíveis no presente website: recolha de dados pessoais como nome, morada, número de telefone e email, com a finalidade legítima do responsável do tratamento de dados dar resposta às solicitações dos interessados em melhorar a qualidade de serviço, com prazo de retenção de seis meses após o envio da resposta.

Quais são os seus direitos enquanto titular de dados pessoais?

Qualquer utilizador, enquanto titular de dados pessoais goza dos seguintes direitos no que respeita ao tratamento dos seus dados pessoais:

1 Direito de acesso: sempre que o solicitar, pode obter confirmação sobre se os seus dados pessoais são tratados pela Empresa e aceder a informação sobre os mesmos, como por exemplo, quais as finalidades do tratamento, quais os prazos de conservação, entre outros;

2 Direito de retificação: sempre que considerar que os seus dados pessoais estão incompletos ou inexatos, pode requerer a sua retificação ou que os mesmos sejam completados;

3 Direito a retirar o seu consentimento: Nos casos em que o tratamento dos dados seja feito com base no seu consentimento, poderá retirar o consentimento a qualquer momento.

4 Direito ao apagamento pode solicitar que os seus dados pessoais sejam apagados quando se verifique uma das seguintes situações: (i) os dados pessoais deixem de ser necessários para a finalidade que motivou a sua recolha ou tratamento; (ii) retire o consentimento em que se baseia o tratamento de dados e não exista outro fundamento jurídico para o mesmo; (iii) apresente oposição ao tratamento dos dados e não existam interesses legítimos prevalecentes, a avaliar caso a caso, que justifiquem o tratamento; (iv) os dados pessoais tenham sido tratados ilicitamente; (v) os dados pessoais tenham que ser apagados ao abrigo de uma obrigação jurídica; ou (v) os dados pessoais tenham sido recolhidos no contexto da oferta de serviços da sociedade de informação;

5 Direito à limitação do tratamento: pode requerer a limitação do tratamento dos seus dados pessoais nos seguintes casos: (i) se contestar a exatidão dos seus dados pessoais durante um período de tempo que permita à Empresa verificar a sua exatidão; (ii) se considerar que o tratamento é ilícito; (iii) se a Empresa já não precisar dos dados pessoais para fins de tratamento, mas esses dados forem necessários para efeitos de declaração, exercício ou defesa de um direito num processo judicia; ou (iii) se tiver apresentado oposição ao tratamento e não exista um interesse legítimo prevalecente da Empresa;

6 Direito de portabilidade: poderá solicitar à Empresa a entrega, num formato estruturado, de uso corrente e de leitura automática, os dados pessoais por si fornecidos. Tem ainda o direito de pedir que a Empresa transmita esses dados a outro responsável pelo tratamento, desde que tal seja tecnicamente possível. Note que o direito de portabilidade apenas se aplica nos seguintes casos: (i) quando o tratamento se basear no consentimento expresso ou na execução de um contrato; e (ii) quando o tratamento em causa for realizado por meios automatizados;

7 Direito de não ficar sujeito a decisões individuais exclusivamente automatizadas: apesar de podermos traçar o seu perfil de modo a realizar campanhas de marketing direcionadas, em princípio, não tomaremos decisões que o afetem com base em processos exclusivamente automatizados;

8 Direito de apresentar reclamações junto da autoridade de controlo: Caso pretenda apresentar alguma reclamação relativamente a matérias relacionadas com o tratamento dos seus dados pessoais poderá fazê-lo junto da Comissão Nacional de Proteção de Dados, a autoridade de controlo competente em Portugal. Para mais informações, aceda a www.cnpd.pt.

Pode exercer os seus direitos através dos seguintes canais:

- E-mail: pode exercer os seus direitos através de e-mail, para o endereço [email protected]

- Carta: pode exercer os seus direitos através de carta, dirigida a e enviada para a Massive Media, Lda., morada: Lisboa Biz - Av. Eng. Arantes e Oliveira, 3, r/c , código postal 1900-221 Lisboa.

Quais as medidas adotadas pela empresa para assegurar a segurança dos seus dados pessoais?

A Massive Media Lda assume o compromisso de garantir a proteção da segurança dos dados pessoais que lhe são disponibilizados, tendo aprovado e implementado rigorosas regras nesta matéria. O cumprimento destas regras constitui uma obrigação de todos aqueles que legalmente aos mesmos acedem.

Tendo presente a preocupação e empenho na defesa dos dados pessoais, foram adotadas diversas medidas de segurança, de carácter técnico e organizativo, de forma a proteger os dados pessoais que lhe são disponibilizados contra a sua difusão, perda, uso indevido, alteração, tratamento ou acesso não autorizado, bem como contra qualquer outra forma de tratamento ilícito.

Adicionalmente, as entidades terceiras que, no âmbito de prestações de serviços, procedam ao tratamento de dados pessoais em nome e por conta da Massive Media Lda., estão obrigadas a executar medidas técnicas e de segurança adequadas que, em cada momento, satisfaçam os requisitos previstos na legislação em vigor e assegurem a defesa dos direitos do titular dos dados.

Em que circunstâncias existe comunicação dos seus dados pessoais a outras entidades, subcontratantes ou terceiros?

Os seus dados pessoais podem ser utilizados por subcontratantes para que estes os tratem, de forma automática, em nome e por conta da Massive Media Lda. Neste caso tomaremos as medidas contratuais necessárias para garantir que os subcontratantes respeitam e protegem os dados pessoais do titular.

- Empresas dentro do grupo Massive Media Portugal (poderá encontrar as marcas em www.massivemediaportugal)

- Empresas com quem a Empresa desenvolva parcerias, nomeadamente Dinamize, Mailchimp, E-goi, entre outras a designar;

- Entidades a quem os dados tenham de ser comunicados por força da lei, como a autoridade tributária.

Em que circunstâncias transferimos os seus dados pessoais para um país terceiro?

A prestação de determinados serviços pela Empresa pode implicar a transferência dos seus dados para fora de Portugal, incluindo para fora da União Europeia ou para Organizações Internacionais.

Em tal caso, a Empresa cumprirá rigorosamente as disposições legais aplicáveis, nomeadamente quanto à determinação da adequabilidade do(s) país(es) de destino no que respeita a proteção de dados pessoais e aos requisitos aplicáveis a tais transferências, incluindo, sempre que aplicável, a celebração dos instrumentos contratuais adequados e que garantem e respeitam as exigências legais em vigor.


Proteção de dados
A Massive Media, Lda. não recolherá automaticamente qualquer tipo de informação pessoal dos seus Utilizadores, os quais poderão navegar no site sem fornecer qualquer género de informação pessoal, permanecendo no anonimato durante a sua visita. No entanto, a Massive Media, Lda. poderá recolher informações que não sejam de carácter pessoal e que se destinem a otimizar a navegação no site.

A informação pessoal voluntariamente fornecida pelo próprio Utilizador ao proceder à compra de produtos/serviços ou ao preencher os formulários do site é para uso exclusivo da Massive Media, Lda. que poderá disponibilizá-los em representação de terceiros (anunciantes e/ou parceiros) sem o prévio consentimento do seu titular. A informação será guardada por um período de dez anos, findo o qual será pedido novo consentimento ao Utilizador.

Este website pode conter acesso a links para outros sites externos cujos conteúdos e políticas de privacidade não são de responsabilidade da Massive Media, LdaAssim recomendamos que, ao serem redirecionados para sites externos, os Utilizadores consultem sempre as respetivas políticas de privacidade antes de fornecerem seus dados ou informações.

Cookies
Para poder prestar um serviço mais personalizado, este website utiliza cookies para recolher e guardar informação.

Um cookie é um ficheiro informativo que é enviado do servidor do website para o browser do Utilizador e armazenado no respetivo computador.

Estes cookies serão apenas utilizados pela Massive Media, Lda. e a sua utilização limita-se às seguintes finalidades:

- Permitir saber quem é o Utilizador e, dessa forma, prestar um serviço melhor, mais seguro e personalizado;

- Estimar os níveis de utilização dos serviços, garantindo a privacidade e a segurança dos dados.

A informação presente neste site foi incluída de boa fé e serve exclusivamente para informação direta do utente, sendo a sua utilização de sua exclusiva responsabilidade.

A Massive Media, Lda., sem prejuízo do cumprimento das regras de proteção de dados pessoais, reserva-se ao direito de realizar alterações e correções, suspender, interromper ou encerrar o site quando o considerar apropriado, sem necessidade de pré-aviso e pelo período que entender necessário, por quaisquer razões de ordem técnica, administrativa, de força maior ou outra, não podendo por tal ser responsabilizada.

A Massive Media, Lda. e/ou seus diretores e funcionários, não se responsabilizam nem poderão vir a ser responsabilizados pelas hiperligações existentes no seu serviço para sites de terceiros. Estas hiperligações são fornecidas unicamente para a conveniência e acessibilidade do utilizador, não sendo a Massive Media, Lda., e/ou seus diretores e funcionários responsáveis pelo conteúdo desses sites de terceiros, sendo o seu acesso e visita da inteira responsabilidade do utilizador.

A Massive Media, Lda. e/ou seus diretores e funcionários não se responsabilizam ainda pelas políticas de privacidade dos sites de terceiros, sendo que as hiperligações eventualmente existentes não implicam a aceitação dos respetivos conteúdos nem uma associação com os seus proprietários por parte da Massive Media, Lda

A Massive Media, Lda., pode atualizar os termos de utilização e a política de privacidade, acompanhando as alterações decorrentes do desenvolvimento e avanços tecnológicos da própria Internet, bem como as alterações legislativas nesta área.

A Massive Media, Lda. e/ou seus diretores e funcionários não assumem responsabilidade ou obrigação por qualquer ação ou conteúdo transmitidos por ou entre o utilizador e ou quaisquer terceiros dentro ou fora deste site e apesar de atenta ao conteúdo editorial, não exerce nem pode exercer controlo sobre todas as mensagens.

A Massive Media, Lda., e/ou seus diretores e funcionários não se responsabilizam nem poderão ser responsabilizados pela veracidade e exatidão dos dados ou conteúdos colocados diretamente pelo utilizador ao qual caberá a inteira responsabilidade.

O utilizador concorda em não transmitir a este site qualquer conteúdo ilícito, ameaçador, insultuoso, racista, discriminatório, acusatório, difamatório, ofensivo, obsceno, escandaloso ou pornográfico, ou qualquer outro conteúdo que possa constituir ou encorajar conduta que apele à violência e a atos ilícitos, reservando-se a o direito de apagar qualquer mensagem com esse conteúdo.

O utilizador compromete-se também a não fazer quaisquer operações que possam prejudicar o funcionamento das áreas de debate do site ou a aceder a uma área/conta e respetivos conteúdos sem a respetiva autorização, testar, avaliar ou quebrar a vulnerabilidade das seguranças instaladas, instalar ou tentar instalar vírus ou programas que o danifiquem e/ou contaminem, desencadear ou tentar desencadear ataques do tipo “denial of service” ou aconselhar terceiros a fazê-lo.

O utilizador compromete-se a não inserir mensagens de teor publicitário (salvo nos casos expressamente autorizados pela Massive Media, Lda., caso em que o utilizador se obriga a cumprir a legislação em vigor, nomeadamente o Código da Publicidade) ou de sua própria promoção. É expressamente proibida a utilização do site para fins ilegais ou quaisquer outros fins que possam ser considerados prejudiciais à imagem da Massive Media, LDA.

O desrespeito pelas regras éticas de utilização e de boa educação implicam a desvinculação do utilizador dos referidos serviços, sendo a usurpação, a contrafação, o aproveitamento do conteúdo usurpado ou contrafeito, a identificação ilegítima e a concorrência desleal punidos nos termos da legislação em vigor.

A Massive Media, Lda., cooperará plenamente com quaisquer autoridades competentes para aplicação da lei ou decisão de tribunal que solicite ou ordene a revelação da identidade ou ajuda na identificação ou localização de qualquer pessoa que transmita tal conteúdo.

O utilizador será responsabilizado pelo não cumprimento dos Termos de Utilização do presente site de acordo com a legislação civil e penal aplicável. A Massive Media, Lda., poderá, com base numa participação ou comunicação, averiguar se o conteúdo transmitido a este site por qualquer utilizador está a violar os termos e condições e determinar a sua remoção.

O utilizador deste site concorda em defender, indemnizar e isentar de responsabilidade a Massive Media, Lda., e/ou seus diretores e funcionários de e contra qualquer reivindicação ou demanda apresentada por quaisquer terceiros, bem como de todas as obrigações, danos, custos e despesas associados (incluindo, sem limitação, honorários razoáveis de advogados) decorrentes e/ou relacionados com a utilização deste site por parte do utilizador, conteúdos por este transmitidos a este site, violação pelo utilizador de quaisquer direitos de terceiros e/ou violação por parte do utilizador dos Termos de Utilização.

As publicações da Massive Media, Lda. podem ter condições de Assinatura diferentes ou estar disponíveis em apenas algumas das plataformas, pelo que o aconselhamos a ler atentamente as concretas condições da publicação que está a assinar e que lhe serão apresentadas no decurso do processo de assinatura.

Caso necessite de qualquer esclarecimento relacionado com qualquer uma das suas Assinaturas, poderá contactar-nos pelo e-mail [email protected] ou pelo telefone para o 211 934 140 (dias úteis entre as 9h30 e as 18h30). Mais se informa que os contratos referentes às Assinaturas das publicações são celebrados com a Massive Media, Lda

Caso o pagamento não seja integralmente recepcionado ou caso o pagamento seja cancelado, a Massive Media, Ldapoderá suspender ou cancelar a sua Assinatura. A Massive Media, Lda. poderá, igualmente, entrar em contacto com o banco/entidade responsável pelo pagamento, bem como com as autoridades competentes, caso suspeite da existência de fraude ou de outro comportamento ilícito ou abusivo por parte do Utilizador. Os pagamentos efectuados não são reembolsáveis, excepto quando seja indicado expressamente o contrário e para as condições indicadas.

Caso deseje alterar o método de pagamento da sua assinatura poderá contactar-nos pelo e-mail [email protected]

Pode cancelar a sua assinatura a qualquer momento através do e-mail [email protected] Não procedemos a reembolsos de valores de assinaturas correspondentes a períodos já pagos, salvo questões específicas protegidas pela lei Portuguesa. A Massive Media, Lda. poderá suspender a sua Assinatura em caso de incumprimento dos presentes termos e condições.

Os Termos de Utilização (ponto I) e a Política de Privacidade (ponto II) acima enunciados foram regidos e serão interpretados de acordo com a lei portuguesa.
O utilizador aceita, irrevogavelmente, a jurisdição dos tribunais portugueses para dirimir qualquer conflito decorrente e/ou relacionado com os Termos e Condições, com a Política de Privacidade abaixo enunciada e/ou com a utilização deste website.

Aos presentes Termos e Condições, bem como qualquer litígio inerente aplica-se a lei portuguesa. Para a resolução de quaisquer litígios, as partes elegem o foro do Tribunal da Comarca de Lisboa, com expressa renúncia a qualquer outro. Adicionalmente, em caso de litígio, o Utilizador, enquanto pessoa singular tem à sua disposição qualquer uma das seguintes entidades de resolução alternativa de litígios, sem prejuízo do recurso ao Tribunal da Comarca de Lisboa:

a) CNIACC – Centro Nacional de Informação e Arbitragem de Conflitos de Consumo
b) Centro de Arbitragem da Universidade Autónoma de Lisboa (CAUAL)
c) Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo de Lisboa

Mais informações no Portal do Consumidor e na plataforma europeia de resolução de litígios em linha em

Para o esclarecimento de qualquer questão relacionada com os presentes termos e condições de utilização do site, o utilizador deverá contactar a Massive Media, Lda., para o seguinte endereço eletrónico: [email protected]

O site da PME Magazine usa cookies para melhorar o desempenho e a sua experiência como utilizador.

Os cookies são pequenos ficheiros de texto que um site, ao ser visitado pelo utilizador, coloca no seu computador ou no seu dispositivo móvel através do navegador de internet (browser). A colocação de cookies ajudará o site a reconhecer o seu dispositivo na próxima vez que o utilizador nos visitar.

Usamos o termo cookies nesta política para referir todos os ficheiros que recolhem informações desta forma.

Os cookies utilizados não recolhem informação que identifica o utilizador. Os cookies recolhem informações genéricas, designadamente a forma como os utilizadores chegam e utilizam os sites ou a zona do país/países através do qual acedem ao site, etc.

Os cookies retêm apenas informação relacionada com as suas preferências.

A qualquer momento o utilizador pode, através do seu navegador de internet (browser) decidir ser notificado sobre a receção de cookies, bem como bloquear a respetiva entrada no seu sistema.

A recusa de uso de cookies no site, pode resultar na impossibilidade de ter acesso a algumas das suas áreas ou de receber informação personalizada.

Os cookies são usados para ajudar a determinar a utilidade, interesse e o número de utilizações dos sites, permitindo uma navegação mais rápida e eficiente e eliminando a necessidade de introduzir repetidamente as mesmas informações.

- Cookies analíticos - Utilizamos estes cookies para analisar a forma como os utilizadores usam o site e monitorizar a performance deste. Isto permite-nos fornecer uma experiência de alta qualidade ao personalizar a nossa oferta e rapidamente identificar e corrigir quaisquer problemas que surjam. Por exemplo, usamos cookies de desempenho para saber quais as páginas mais populares, qual o método de ligação entre páginas que é mais eficaz, ou para determinar a razão de algumas páginas estarem a receber mensagens de erro. Baseado na utilização do site, podemos também utilizar estes cookies para destacar artigos ou serviços do site que pensamos ser do interesse dos utilizadores. Estes cookies são utilizados apenas para efeitos de criação e análise estatística, sem nunca recolher informação de caráter pessoal.

- Cookies de funcionalidade - Guardam as preferências do utilizador relativamente à utilização do site, de forma que não seja necessário voltar a configurar o site cada vez que o visita. Evitam, por exemplo, introduzir nomes de utilizador de cada vez que se acede ao mesmo.

- Cookies de terceiros - Servem para medir o sucesso de aplicações e a eficácia da publicidade de terceiros.

- Cookies de publicidade - Servem para direcionar a publicidade em função dos interesses de cada utilizador, permitindo limitar o número de vezes do visionamento do anúncio. Estes cookies ajudam a medir a eficácia da publicidade. No entanto, não identificam o utilizador.

- Cookies permanentes -Ficam armazenados ao nível do navegador de internet (browser) nos seus dispositivos de acesso (pc, mobile e tablet) e são utilizados sempre que o utilizador faz uma nova visita ao site. Geralmente são utilizados para direcionar a navegação de acordo com os interesses do utilizador, permitindo-nos prestar um serviço mais personalizado.

- Cookies de sessão - São temporários, permanecem nos cookies do seu navegador de internet (browser) até sair do site. A informação obtida permite identificar problemas e fornecer uma melhor experiencia de navegação.

O uso de cookies pode ser bloqueado, mas estes ajudam-no a tirar o máximo proveito do nosso site

Depois de autorizar o uso de cookies, o utilizador pode sempre desativar parte ou a totalidade dos nossos cookies. Todos os navegadores de internet (browsers) permitem ao utilizador aceitar, recusar ou apagar cookies, através da gestão das definições no respetivo navegador.

Recordamos que ao desativar os cookies, partes do nosso site podem não funcionar corretamente.

Uso de cookies na abertura das nossas newsletters

As nossas newsletters podem, para fins estatísticos, conter um único "pixel " que nos permite saber se são abertas e verificar os cliques através de links ou anúncios dentro da newsletter.

O utilizador tem sempre a possibilidade de desativar o envio da newsletter quando a recebe.

Pode obter mais informações sobre cookies no seguinte link:

Métodos de Pagamento

Ao longo dos anos o mundo da Internet tem-se tornado imprescindível para a maior parte da população e realmente é fácil de entender porque, pode fazer tudo à distância de um clique desde as suas compras para o mês a poder estar actualizado com tudo o que se passa no mundo. É realmente estranho relembrar o mundo sem este sistema, não é verdade?

Com todos estes avanços tecnológicos é compreensível que as empresas tenham que acompanhar este crescimento criando lojas online e não só. No entanto com o aparecimento das lojas online surge o medo de ser enganado, que é perfeitamente normal, e várias dúvidas em relação à sua compra online desde como faze-la a como pagar e qual será o método de pagamento mais seguro. É por isso que hoje no post do blog da EscapeShoes lhe vamos falar de todos os métodos de pagamento que conhecemos e com os quais trabalhamos todos os dias para que também possa ficar a conhecer as suas vantagens e desvantagens. Vamos a isso?

-Pode fazer o pagamento em qualquer caixa Multibanco ou na comodidade da sua casa inserindo a entidade, referência e montante.

-A não ser que tenha a aplicação do seu banco terá que se dirigir a um Multibanco para fazer o pagamento.

Tal como no método de pagamento referido anteriormente, pode realizar esta operação em qualquer caixa Multibanco ou na comodidade da sua casa.

-Se o seu banco for diferente da loja online poderá demorar um pouco mais a confirmar o pagamento e por sua vez mais tempo até a sua encomenda ser enviada;

-Tem que enviar o comprovativo para o seu pagamento ser confirmado.

-Pode fazer o pagamento no acto da entrega, normalmente apenas em numerário.

-Este método de pagamento tem sempre custos adicionais, independentemente do valor total da sua encomenda.

Nota importante: Neste tipo de envio as transportadoras não permitem que abra a encomenda antes de fazer o pagamento.

-Sendo este um dos métodos de pagamento mais conhecidos para quem faz compras online é bastante prático e generalizado, uma vez que quase todos temos cartões de crédito;

-Para fazer compras com Cartão de Crédito precisa apenas do número, data de validade e código de segurança do mesmo;

-Em caso de utilização indevida, pode activar o seguro do seu cartão de crédito.

-É necessário ter muita atenção ao utilizar um cartão de crédito na internet. Tome especial atenção à segurança do site antes de inserir os seus dados.

-Se tem um cartão de crédito tenha atenção às anuidades e ao pagamento de juros.

-Com o PayPal pode pagar através do seu cartão de crédito (não necessita ter conta) ou conta bancária.

-É fácil de aderir, basta criar uma conta e inserir os seus dados uma única vez!

-Não tem custos em aderir ao PayPal e os seus dados nunca são revelados à loja online.

-Caso haja uma acusação de fraude, o PayPal abre uma disputa e caso a razão esteja do seu lado o seu dinheiro é automaticamente devolvido.

-A conta pode congelar caso aceda à conta por outro computador ou após vários logins falhados.

Depois de conhecer as vantagens e desvantagens dos vários métodos de pagamento mais conhecidos chega a altura de nos dizer, qual deles utiliza mais? Alguma vez teve algum problema com algum deles? Conte-nos tudo! E agora que já está mais a par porque não faz uma compra na sua loja favorita, a EscapeShoes claro! Estamos à sua espera!



Publicar comentário
Procurar


Para você
Artigos sobre o tema Apostas online
19-04-2021
Mercados de Handicap e Gols em Grandes Equipes
Mercados de Handicap e Gols em Grandes Equipes

Pode valer a pena olhar para os mercados do Handicap Asiático...

12-04-2021
OneFootball - Notícias Futebo‪l‬ +17
OneFootball - Notícias Futebo‪l‬ +17

OneFootball é o único aplicativo de futebol que você precisa para acompanhar milhares de equipes e centenas de ligas em todo o mundo...

11-05-2021
Wrestling – Apostas Desportivas em Portugal
Wrestling – Apostas Desportivas em Portugal

Fazer uma aposta desportiva em wrestling pode parecer estranho à primeira vista...