X 22bet

Multiplas 3 4

Laços oferecem um jeito fácil e rápido de executar uma ação repetidas vezes. Este capítulo do guia do JavaScript abordará diferentes formas de iterações existentes no JavaScript.

Você pode pensar em um laço de repetição como um jogo onde você manda o seu personagem andar X passos em uma direção e Y passos em outra; por exemplo, a ideia "vá 5 passos para leste" pode ser expressa em um laço desta forma:

Existem várias formas diferentes de laços, mas eles essencialmente fazem a mesma coisa: repetir uma ação múltiplas vezes ( inclusive você poderá repetir 0 vezes). Os vários mecanismos diferentes de laços oferecem diferentes formas de determinar quando este irá começar ou terminar. Há várias situações em que é mais fácil resolver um problema utilizando um determinado tipo de laço do que outros.

Declaração for

 Declaração for

Um laço for é repetido até que a condição especificada seja falsa. O laço for no JavaScript é similar ao Java e C. Uma declaração for é feita da seguinte maneira:

  1. A expressão expressao Inicial é inicializada e, caso possível, é executada. Normalmente essa expressão inicializa um ou mais contadores, mas a sintaxe permite expressões de qualquer grau de complexidade. Podendo conter também declaração de variáveis.
  2. A expressão condicao é avaliada. caso o resultado de condicao seja verdadeiro, o laço é executado. Se o valor de condicao é falso, então o laço terminará. Se a expressão condicao é omitida, a condicao é assumida como verdadeira.
  3. A instrução é executada. Para executar múltiplas declarações, use uma declaração em bloco (<. >) para agrupá-las.
  4. A atualização da expressão incremento , se houver, executa, e retorna o controle para o passo 2.

Exemplo

A função a seguir contém uma declaração for que contará o número de opções selecionadas em uma lista (um elemento ) representa um controle que apresenta um menu de opções. As opções dentro do menu são representadas pelo elemento , que podem ser agrupados por elementos. As opções podem ser pré-selecionadas para o usuário."> permite várias seleções). Dentro do for é declarado uma váriavel i inicializada com zero. A declaração for verifica se i é menor que o número de opções no elemento , executa sucessivas declaração if , e incrementa i de um em um a cada passagem pelo laço.

Declaração do. while

 Declaração do. while

A instrução do. while repetirá até que a condição especificada seja falsa.

A instrução será executada uma vez antes da condição ser verificada. Para executar multiplas instruções utilize uma declaração de bloco (<. >) para agrupá-las. Caso a condicao seja verdadeira, então o laço será executado novamente. Ao final de cada execução, a condicao é verificada. Quando a condição contida no while for falsa a execução do laço é terminada e o controle é passado para a instrução seguinte a do. while.

Exemplo

No exemplo a seguir, o laço é executado pelo menos uma vez e irá executar até que i seja menor que 5.

Declaração while

 Declaração while

Uma declaração while executa suas instruções, desde que uma condição especificada seja avaliada como verdadeira. Segue uma declaração while :

Se a condição se tornar falsa, a declaração dentro do laço para a execução e o controle é passado para a instrução após o laço.

O teste da condição ocorre antes que o laço seja executado. Desta forma se a condição for verdadeira o laço executará e testará a condição novamente. Se a condição for falsa o laço termina e passa o controle para as instruções após o laço.

Para executar múltiplas declarações, use uma declaração em bloco (<. >) para agrupar essas declarações.

Exemplo 1

O while a seguir executará enquanto n for menor que três:

A cada iteração, o laço incrementa n e adiciona este valor para x. Portanto, x e n recebem os seguintes valores:

  • Depois de executar pela primeira vez: n = 1 e x = 1
  • Depois da segunda vez: n = 2 e x = 3
  • Depois da terceira vez: n = 3 e x = 6

Depois de executar pela terceira vez, a condição n não será mais verdadeira, então o laço encerrará.

Exemplo 2

Evite laços infinitos. Tenha certeza que a condição do laço eventualmente será falsa; caso contrário, o laço nunca terminará. O while a seguir executará para sempre pois sua condição nunca será falsa:

Declaração label

 Declaração label

Um label provê um identificador que permite que este seja referenciado em outro lugar no seu programa. Por exemplo, você pode usar uma label para identificar um laço, e então usar break ou continue para indicar quando o programa deverá interromper o laço ou continuar sua execução.

Um label pode usar qualquer idenficador que não seja uma palavra reservada do JavaScript. Você pode identificar qualquer instrução com um label.

Exemplo

Neste exemplo, o label markLoop idenfica um laço while.

Declaração break

Use break para terminar laços, switch , ou um conjunto que utiliza label.

  • Quando você utiliza break sem um label, ele encerrará imediatamente o laço mais interno while , do-while , for , ou switch e transferirá o controle para a próxima instrução.
  • Quando você utiliza break com um label, ele encerrará o label específico.

Na primeira opção será encerrado o laço de repetição mais interno ou switch. Já na segunda opção será encerrada o bloco de código referente a label.

Exemplo 1

O exemplo a seguir percorre os elementos de um array até que ele encontre o índice do elemento que possui o valor contido em theValue :

Exemplo 2: Utilizando break em label

Declaração continue

A declaração continue pode ser usada para reiniciar uma instrução while , do-while , for , ou label.

  • Quando você utiliza continue sem uma label, ele encerrará a iteração atual mais interna de uma instrução while , do-while , ou for e continuará a execução do laço a partir da próxima iteração. Ao contrário da instrução break , continue não encerra a execução completa do laço. Em um laço while , ele voltará para a condição. Em um laço for , ele pulará para a expressão de incrementação.
  • Quando você utiliza continue com uma label, o continue será aplicado ao laço identificado por esta label.

Exemplo 1

O exemplo a seguir mostra um laço while utlizando continue que executará quando o valor de i for igual a 3. Desta forma, n recebe os valores um, três, sete, e doze.

Exemplo 2

Uma instrução label checkiandj contém uma instrução label c heckj. Se o continue for executado, o programa terminará a iteração atual de checkj e começará a próxima iteração. Toda vez que o continue for executado, checkj recomeçará até que a condição do while for falsa. Quando isto ocorrer checkiandj executará até que sua condição seja falsa.

Se o continue estivesse referenciando checkiandj , o programa deveria continuar do topo de checkiandj.

Declaração for. in

A declaração for. in executa iterações a partir de uma variável específica, percorrendo todas as propriedades de um objeto.
Para cada propriedade distinta, o JavaScript executará uma iteração. Segue a sintaxe:

Exemplo

A função a seguir recebe em seu argumento um objeto e o nome deste objeto. Então executará uma iteração para cada elemento e retornará uma lista de string, que irá conter o nome da propriedade e seu valor.

Para um objeto chamado car com propriedades make e model , o resultado será:

Arrays

Embora seja tentador usar esta forma para interagir com os elementos de um Array, a declaração for. in irá retornar o nome pré-definido da propriedade ao invés do seu index numérico. Assim é melhor usar o tradicional for com index numérico quando interagir com arrays, pois o for. in interage com as propriedades definidas pelo programador ao invés dos elementos do array.

Declaração for. of

A declaração for. of cria uma laço com objetos interativos ((incluindo, Array , Map , Set , assim por conseguinte ), executando uma iteração para o valor de cada propriedade distinta.

O exemplo a seguir mostra a diferença entre o for. of e o for. in. Enquanto o for. in interage com o nome das propriedades, o for. of interage com o valor das propriedades.

Música de múltiplas fontes com som de alta qualidade: apresentamos-lhe o novo Walkman® NW-ZX507 da Sony

Comunicado de imprensa Set 05, 2019   13:45   WEST

  • Ouça som de alta resolução com uma tecnologia de áudio avançada
  • Desfrute de música de alta qualidade de múltiplas fontes, incluindo os seus serviços de streaming favoritos
  • Design premium para uma audição requintada

A Sony anunciou hoje o lançamento do seu novo Walkman ® NW-ZX507, que lhe permite ouvir música de múltiplas fontes com Android™[1]e Wi-Fi. Basta aceder às músicas no seu dispositivo, através dos seus serviços de streaming e transferência de conteúdos favoritos, sem comprometer o som de alta qualidade.

[2]e PCM de 384 kHz/32 bits, suportada por S-master HX™. Deixe-se envolver pelo áudio de alta resolução. Além disso, a tecnologia DSEE HX™ permite-lhe otimizar a sua música existente para uma qualidade próxima da alta resolução. O processador DSEE HX™ funciona até durante o streaming de música[3]. Adicionalmente, o NW-ZX507 suporta áudio de alta resolução sem fios por LDAC, para que possa desfrutar de áudio de alta resolução no seu estilo de audição favorito.

A máxima qualidade de áudio é atingida facilmente no NW-ZX507, graças à sua construção premium. O chassis é composto por uma estrutura em alumínio polido e um bloco em cobre polido para alcançar um som nítido e poderoso, enquanto que o FTCAP (condensador de polímero elevado) e o condensador elétrico de dupla camada, recém-desenvolvidos, trabalham em conjunto para assegurar graves estrondosos. As peças de áudio, incluindo uma excelente solda e uma resistência de áudio otimizada proporcionam vozes e sons nítidos, melhorando cada detalhe das suas músicas favoritas.

Com Android™ e Wi-Fi, poderá aceder facilmente a milhões de músicas para fazer streaming ou transferir com as suas apps favoritas, diretamente no seu Walkman ® , ou ligar-se ao seu PC para aceder à sua biblioteca musical. Ouvir as suas músicas favoritas nunca foi tão fácil.

Com um ecrã HD de 3,6 polegadas e painel tátil, pode ouvir as suas músicas em grande estilo. O NW-ZX507 dispõe ainda de uma prática porta USB Type-C™ e de uma ranhura para cartões Micro SD, com teclas laterais para uma utilização mais simplificada. Disponível em preto, o NW-ZX507 oferece-lhe um som autêntico num corpo compacto e elegante. Além disso, a bateria possui uma autonomia de até 20 horas[4], para que possa desfrutar de vários álbuns sem quaisquer preocupações.

Compatível com a app do leitor de música original da Sony. Personalize o seu som para obter a melhor experiência auditiva de sempre.

O modelo NW-ZX507 (64 GB) estará disponível a partir de novembro de 2019, a um preço aproximado de 830 €.

Para as especificações do produto, visite: inserir links PDP.

[4]Ao utilizar a app do leitor de música original da Sony e a reprodução MP3 com uma ligação não balanceada.

Howard Gardner, o cientista das inteligências múltiplas

A idéia de que existem várias aptidões além do raciocínio lógico-matemático, apresentada pelo psicólogo, causou grande impacto nos meios pedagógicos

Formado no campo da psicologia e da neurologia, o cientista norteamericano Howard Gardner causou forte impacto na área educacional com sua teoria das inteligências múltiplas, divulgada no início da década de 1980. Seu interesse pelos processos de aprendizado já estava presente nos primeiros estudos de pós-graduação, quando pesquisou as descobertas do suíço Jean Piaget (1896-1980). Por outro lado, a dedicação à música e às artes, que começou na infância, o levou a supor que as noções consagradas a respeito das aptidões intelectuais humanas eram parciais e insuficientes.

Sob a influência do norte-americano Robert Sternberg, que estudou as variações dos conceitos de inteligência em diferentes culturas, Gardner foi levado a conceituá-la como o potencial para resolver problemas e para criar aquilo que é valorizado em determinado contexto social e histórico. Na elaboração de sua teoria, ele partiu da observação do trabalho dos gênios. "Ficou claro que a manifestação da genialidade humana é bem mais específica que generalista, uma vez que bem poucos gênios o são em todas as áreas", afirma Antunes. Gardner foi buscar evidências também no estudo de pessoas com lesões e disfunções cerebrais, que o ajudou a formular hipóteses sobre a relação entre as habilidades individuais e determinadas regiões do órgão. Finalmente, o psicólogo se valeu do mapeamento encefálico mediante técnicas surgidas nas décadas recentes. Suas conclusões, como a maioria das que se referem ao funcionamento do cérebro, são eminentemente empíricas. Ele concluiu, a princípio, que há sete tipos de inteligência:
1. Lógico-matemática é a capacidade de realizar operações numéricas e de fazer deduções.
2. Lingüística é a habilidade de aprender idiomas e de usar a fala e a escrita para atingir objetivos.
3. Espacial é a disposição para reconhecer e manipular situações que envolvam apreensões visuais.
4. Físico-cinestésica é o potencial para usar o corpo com o fim de resolver problemas ou fabricar produtos.
5. Interpessoal é a capacidade de entender as intenções e os desejos dos outros e conseqüentemente de se relacionar bem em sociedade.
6. Intrapessoal é a inclinação para se conhecer e usar o entendimento de si mesmo para alcançar certos fins.
7. Musical é a aptidão para tocar, apreciar e compor padrões musicais.

Mais tarde, Gardner acrescentou à lista as inteligências natural (reconhecer e classificar espécies da natureza) e existencial (refletir sobre questões fundamentais da vida humana) e sugeriu o agrupamento da interpessoal e da intrapessoal numa só.

A primeira implicação da teoria das múltiplas inteligências é que existem talentos diferenciados para atividades específicas. O físico Albert Einstein tinha excepcional aptidão lógico-matemática, mas provavelmente não dispunha do mesmo pendor para outros tipos de habilidade. O mesmo pode ser dito da veia musical de Wolfgang Amadeus Mozart ou da inteligência físico-cinestésica de Pelé. Por outro lado, embora essas capacidades sejam independentes, raramente funcionam de forma isolada.

O que leva as pessoas a desenvolver capacidades inatas são a educação que recebem e as oportunidades que encontram. Para Gardner, cada indivíduo nasce com um vasto potencial de talentos ainda não moldado pela cultura, o que só começa a ocorrer por volta dos 5 anos. Segundo ele, a educação costuma errar ao não levar em conta os vários potenciais de cada um. Além disso, é comum que essas aptidões sejam sufocadas pelo hábito nivelador de grande parte das escolas. Preservá-las já seria um grande serviço ao aluno. "O escritor imita a criança que brinca: cria um mundo de fantasia que leva a sério, embora o separe da realidade", diz Gardner.

Muitas escolas, inclusive no Brasil, se esforçaram para mudar seus procedimentos em função das descobertas de Howard Gardner. A maneira mais difundida de aplicar a teoria das inteligências múltiplas é tentar estimular todas as habilidades potenciais dos alunos quando se está ensinando um mesmo conteúdo. As melhores estratégias partem da resolução de problemas. Segundo Gardner, não é possível compensar totalmente a desvantagem genética com um ambiente estimulador da habilidade correspondente, mas condições adequadas de aprendizado sempre suscitam alguma resposta positiva do aluno - desde que elas despertem o prazer do aprendizado. O psicólogo norteamericano atribui à escola duas funções essenciais: modelar papéis sociais e transmitir valores. "A missão da educação deve continuar a ser uma confrontação com a verdade, a beleza e a bondade, sem negar as facetas problemáticas dessas categorias ou as discordâncias entre diferentes culturas", escreveu. Pela própria natureza de suas descobertas, o trabalho de Gardner favorece uma visão integral de cada indivíduo e a valorização da multiplicidade e da diversidade na sala de aula.

Os anos 1990 ficaram conhecidos como a década do cérebro graças aos novos procedimentos de visualização do interior do corpo humano e, principalmente, ao grande número de estudos desafiadores sobre o assunto. "A teoria das inteligências múltiplas não poderia ter ganho as mesmas diversidade e dimensão sem as admiráveis conquistas das ciências da cognição nesse período", diz Celso Antunes. Alguns dos cientistas que mais contribuições trouxeram à área foram António Damasio, Oliver Sacks, Joseph LeDoux e Steven Pinker. Entre as descobertas recentes que contrariam crenças antigas estão a de que o cérebro mantém o potencial de evolução durante toda a vida e que funções de regiões lesionadas podem ser assumidas por outras, se estimuladas. Apesar dos avanços, a mente humana continua a ser um vasto território a explorar. A intensificação das pesquisas faz prever muitas novidades para os próximos anos.

Howard Gardner nasceu em Scranton, no estado norteamericano da Pensilvânia, em 1943, numa família de judeus alemães refugiados do nazismo. Ingressou na Universidade Harvard em 1961 para estudar história e direito, mas acabou se aproximando do psicanalista Erik Erikson (1902-1994) e redirecionou a carreira acadêmica para os campos combinados de psicologia e educação. Na pós-graduação, pesquisou o desenvolvimento dos sistemas simbólicos pela inteligência humana sob orientação do célebre educador Jerome Bruner. Nessa época, Gardner integrou-se ao Harvard Project Zero, destinado inicialmente às pesquisas sobre educação artística. Em 1971, tornou-se co-diretor do projeto, cargo que mantém até hoje. Foi lá que desenvolveu as pesquisas sobre as inteligências múltiplas. Elas vieram a público em seu sétimo livro, Frames of Mind, de 1983, que o projetou da noite para o dia nos Estados Unidos. O assunto foi aprofundado em outro campeão de vendas, Inteligências Múltiplas: Teoria na Prática, publicado em 1993. Nos escritos sobre educação que se seguiram, enfatizou a importância de trabalhar a formação ética simultaneamente ao desenvolvimento das inteligências. Hoje leciona neurologia na escola de medicina da Universidade de Boston e é professor de cognição e pedagogia e de psicologia em Harvard. Nos últimos anos, vem pesquisando e escrevendo sobre criadores e líderes exemplares, tema de livros como Mentes Extraordinárias. Em 2005, foi eleito um dos 100 intelectuais mais influentes do mundo pelas revistas Foreign Policy e Prospect.

Uma das conseqüências nefastas da valorização exclusiva da inteligência lógico-matemática é a tendência de definir o desempenho dos alunos mais pelo que eles não são (dada a impossibilidade de que todos se destaquem numa única área de conhecimento) do que pelo que são. Ainda prevalece o hábito de valorizar as habilidades relacionadas às artes e aos esportes apenas nas chamadas atividades extracurriculares. Você acha que, em sua prática diária, isso pode começar a ser mudado? De que forma?

As Inteligências Múltiplas e seus Estímulos, Celso Antunes, 144 págs., Ed. Papirus, tel. (19) 3272-4500, 29,50 reais
Inteligência - Um Conceito Reformulado, Howard Gardner, 348 págs., Ed. Objetiva, tel. (21) 2199-7842 , 49,90 reais
Jogos para a Estimulação das Inteligências, Celso Antunes, 312 págs., Ed. Vozes, tel. (24) 2246-5552 , 44,30 reais
O Verdadeiro, o Belo e o Bom, Howard Gardner, 364 págs., Ed. Objetiva, 45,90 reais

Multiplas 3 4

Quando se tem um questionбrio contendo variбveis com respostas mъltiplas, isto й, questхes de mъltiplas escolhas em que o entrevistado pode escolher mais de uma resposta, a emissгo de tabelas pode ser tornar bastante complexa. Este procedimento emite uma tabela de duas entradas, sendo representadas nas linhas as variбveis com as respostas e nas colunas, as percentagem de cada resposta.

No "Campo de parвmetros" devem ser relacionados os nomes das variбveis que serгo representadas nas linhas, seguidos da relaзгo de valores de dados possнveis destas variбveis. Estes valores devem ser colocados entre parкnteses.

______________________________________________________________________________
ENTREV SEXO ESC1 ESC2 ESC3 ESC4
1. 1. 3. 1. 4. 2.
2. 2. 2. 1. 3. 2.
3. 1. 1
4. 2. 2. 1. 4. 3.
5. 2. 3. 1. 4. 2.
6. 1. 3. 2. 1. 4.
7. 2. 2. 3. 1
8. 2. 3. 2. 1. 4.
9. 1. 2. 3. 1. 4.
10. 1. 4. 2. 3. 1.
11. 1. 3. 2. 1. 4.
12. 1. 4. 3. 2. 1.
13. 1. 3. 2. 4
14. 1. 3. 2. 4. 1.
15. 2. 3. 2. 4. 1.
16. 1. 2. 3. 1. 4.
171. 2. 4. 3.
18. 1. 2. 3. 4. 1.
19. 2. 3. 2. 4. 1.
20. 1. 2. 3. 4. 1.
21. 2. 3. 2. 4
22. 1. 3. 2. 4. 1.
23. 1. 2. 3. 4. 1.
24. 2. 3. 2. 4. 1.
25. 2. 2. 3. 4. 1.
26. 1. 3. 2. 4. 1.
27. 1. 2. 3. 4. 1.
28. 2. 3. 2. 4. 1.
29. 1. 3. 2. 4. 1.
30. 2. 2. 3. 4. 1.
31. 2. 4. 2. 3. 1.
32. 2. 3. 2.
33. 1. 2. 3. 4. 1.
34. 1. 3. 2. 4. 1.
35. 2. 3. 4. 1. 2.
36. 2. 2. 4. 1. 3.
37. 1. 3
38. 2. 3. 4. 1. 2.
39. 1. 2. 4. 3. 1.
40. 2. 1. 2. 4. 3.
______________________________________________________________________________


Este arquivo й constituнdo de 6 variбveis discretas resultantes de uma pesquisa simulada sobre candidatos a presidente do setor de Aqьicultura da Fundaзгo Geraldo Magela. Como esta empresa possui, no setor de Aqьicultura, 132 funcionбrios classificadas como tйcnicos de nнvel superior e tйcnicos operacionais foram entrevistados 40 contratados, 21 do sexo masculino e 18 do sexo feminino.

Na tabela anterior pode ser visto que o entrevistado (ENTREV)nъmero 18 nгo possui a identificaзгo do sexo (SEXO). Esta falha, que gerou uma informaзгo perdida, provavelmente foi causada pelo entrevistado que esqueceu de anotar no questionбrio o sexo do entrevistado.
A maioria dos entrevistados mostrou a seqькncia de sua escolha para presidente.

O entrevistado nъmero 1, do sexo feminino, respondeu que no dia da eleiзгo votaria em
primeiro lugar no Theodorovisk , em segundo lugar no Josй Carlos, em terceiro lugar em
Balusбvio e, por ъltimo, em Bajakovit.

Durante a eleiзгo cada eleitor poderб escolher somente um candidato. Portanto, deve-se entender que a entrevistada nъmero 1 votaria no Theodorovisk, mas se o mesmo desistisse ela votaria no Josй Carlos. Se sua segunda opзгo de candidato tambйm desistisse ou fosse excluнdo por qualquer motivo ela votaria em Balusбvio. Por ъltimo votaria em Bajakovit.

Alguns entrevistados excluнram, das suas respostas, os candidatos em que nгo votariam. Por exemplo, o entrevistado nъmero 3 respondeu que votaria somente no candidato nъmero 1, Josй Carlos. O entrevistado nъmero 8 respondeu que votaria em primeiro lugar no Bajakovit(2) em segundo lugar em Theodorovisk(3) e sua ъltima opзгo seria Josй Carlos (1). Como esta pesquisa foi executada a pedido do candidato Bajakovit ele quer saber se tem chance de ser eleito. O resultado da pesquisa tambйm poderб lhe oferecer informaзхes sobre como se comportar nos prуximos 23 dias.


Campos de parвmetros: variбveis, modelo, palavras reservadas, sнmbolos etc

Este exemplo mostrara uma tabela de freqькncia de duas entradas. Nas linhas seriam representadas as variбveis ESC1, ESC2, ESC3 e ESC4 e nas colunas, valores de 1 atй 4, que representam os candidatos. Coma o opзгo de histograma foi SIM, o SAEG desenharб no vнdeo do computador histogramas na forma de grбficos de barras, com algumas opзхes de forma, rotaзгo, troca de eixos etc, pelo SAEGF.

Procedimento = Freqькncias de Respostas Mъltiplas
Objetivo = Emissгo de tabelas de freqькncias
Variбveis = ESC1 ESC2 ESC3 ESC4
Classes = 1 2 3 4


Num. Casos
% Linha
% Coluna
% Total 1 2 3 4
+++++
ESC1 3 14 20 3 40
7.50 35.00 50.00 7.50 26.85
8.33 35.90 51.28 8.57
2.01 9.40 13.42 2.01
+++++
ESC2 4 19 11 4 38
10.53 50.00 28.95 10.53 25.50
11.11 48.72 28.21 11.43
2.69 12.75 7.38 2.69
+++++
ESC3 9 1 4 23 37
24.33 2.70 10.81 62.16 24.83
25.00 2.57 10.26 65.72
6.04 0.67 2.69 15.44
+++++
ESC4 20 5 4 5 34
58.82 14.71 11.77 14.71 22.82
55.56 12.82 10.26 14.29
13.42 3.36 2.69 3.36
+++++
Totais 36 39 39 35 149
Colunas 24.16 26.17 26.17 23.49 100.00

Cуdigo Descriзгo ESC1 ESC2 ESC3 ESC4 Ausente
1 Josй Carlos 7.5 10.5 24.3 58.8 10.0
2 Bajakovit 35.0 50.0 2.7 14.7 2.5
3 Theodorovisk 50.0 28.9 10.8 11.8 2.5
4 Balusбvio 7.5 10.5 62.2 14.7 12.5
40 38 37 34


Como pode ser visto o SAEG oferece em trкs formas os resultados do procedimento "Respostas Mъltiplas": Um histograma, uma tabela de freqькncias cruzadas e uma tabela de freqькncia simples.

Esta figura, а esquerda , й referente a variбvel "ESC1", primeira escolha, e candidato "3", Theodorovisk.
(1) O valor "20" representa o nъmero de entrevistados que escolheu o Theodorovisk como primeira opзгo de voto.
(2) O valor "50.00" й a percentagem de eleitores que votariam no Theodorovisk, uma vez que o total de entrevistados й 40.
(3) 51.28 й percentagem de escolha do Theodorovisk, em primeiro lugar, em relaзгo a nъmero de vezer que foi citado (39).
(4) 13.42 й a percentagem de Theodorovisk em relaзгo a todas respostas de entrevistados (149).

O candidato numero 2, Bajakovit, interpretando a tabela de freqькncia simples, obteve a segundo lugar como o candidato preferido (35.0%) e o primeiro lugar como segunda opзгo (50.0%) dos eleitores. Foi pouco escolhido como terceira opзгo (2.7%) e tambйm pouco escolhido como quarta opзгo (ъltimo lugar).

Analisando a ъltima coluna ("Ausente"), da tabela de freqькncia simples, pode-se observar que os candidatos Theodorovisk e Bajakovit, apresentaram tambйm o menor grau de rejeiзгo, uma vez que dos 40 entrevistados eles foram escolhidos com opзгo de 39 (2.5%).

A maior rejeiзгo й do candidato Josй Carlos (15.5%). Dos 40 entrevistados, 5 nгo o escolheu como um possнvel candidato.

Estrutura de seleção multipla ESCOLHA-CASO

A estrutura ESCOLHA-CASO (em inglês SWITCH-CASE), é uma solução elegante quanto se tem várias estruturas de decisão (SE-ENTÃO-SENÃO) aninhadas. Isto é, quando outras verificações são feitas caso a anterior tenha falhado (ou seja, o fluxo do algoritmo entrou no bloco SENÃO). A proposta da estrutura ESCOLHA-CASO é permitir ir direto no bloco de código desejado, dependendo do valor de uma variável de verificação. Veja o esquema abaixo.

ESCOLHA-CASO na prГЎtica!

Para exemplificar a melhoria oferecida por essa estrutura, imagine a seguinte situação: Você deseja criar um algoritmo para uma calculadora, o usuário digita o primeiro número, a operação que deseja executar e o segundo número. Dependendo do que o usuário informar como operador, o algoritmo executará um cálculo diferente (soma, subtração, multiplicação ou divisão). Vejamos como seria esse algoritmo implementado no VisuAlg com SE-ENTÃO-SENÃO.

Veja como os SEs aninhados (dentro dos SENГѓOs) deixam o cГіdigo mais complexo. DГЎ pra entender a lГіgica, mas nГЈo Г© muito elegante. Agora vamos ver como ficaria a mesma lГіgica com a estrutura ESCOLHA-CASO.

Bem mais bonito! Agora a lógica tá mais visível e elegante. O resultado dos dois algoritmos é o mesmo, veja um exemplo de execução deste programa.

Caso nГЈo tratado na estrutura (OUTROCASO)

Existe uma opção a mais nessa estrutura, justamente para tratar quando o valor da variável não é equivalente a nenhum valor informado como opção nos CASOs, ou seja, é um "OUTROCASO". No algoritmo listado anteriormente, imagine se o usuário digitasse um valor diferente de "+", "-", "" e "/". Caso quiséssemos apresentar uma mensagem para o usuário informando que ele digitou uma opção inválida, utilizaríamos esse recurso da estrutura ESCOLHA-CASO. Veja.

Como pudemos observar, em termos de organização de código a estrutura ESCOLHA-CASO é uma opção muito elegante quando se tem muitos SE-ENTÃO-SENÃO para verificar a mesma variável. Facilita a leitura do algoritmo e a manutenção do código.

Como exercício para praticar essa estrutura de controle de fluxo, crie um algoritmo em que o usuário digita uma letra qualquer, e o programa verifica qual a ordem dessa letra no alfabeto, por exemplo: se o usuário digitar a letra 'G' o programa deve imprimir na tela, "G é a sétima letra do alfabeto". Implemente com a estrutura ESCOLHA-CASO e depois com a estrutura SE-ENTÃO-SENÃO para perceber a diferença. Qualquer dúvida deixe nos comentários aqui em baixo.

Inteligências múltiplas: Conheça os vários tipos de inteligência e descubra a sua

Atualmente, em testes como QI ou aqueles aplicados em universidades, a inteligência é medida principalmente com base em um único tipo de inteligência, focada em cálculos e resultados.

Porém, para os professores, é comum não conseguir alcançar todos os alunos usando um único sistema. Muitas pessoas só conseguem aprender quando a informação é apresentada de uma maneira diferente, ou quando elas têm novas opções para se expressar.

Pode ser que alguém não consiga se comunicar tão bem usando a escrita, mas faz isso perfeitamente com alguma imagem ou desenho. Ou alguém que não consegue entender frações, até que representem isso separando laranjas em fatias, por exemplo.

Por causa desses tipos de experiência, a teoria das inteligências múltiplas chama a atenção de muitos educadores.

A teoria das inteligências múltiplas

Proposta por Howard Gardner em 1983, a teoria das inteligências múltiplas revolucionou a forma como entendemos a inteligência. Sua base está no fato de que uma abordagem única para a educação sempre deixará alguns alunos para trás.

Gardner crê que os testes de QI têm uma relevância limitada para a vida real e, segundo ele, pode haver até oito tipos diferentes de inteligência, que se aplicam em diversas áreas.

As afirmações de Gardner são muito semelhantes às feitas sobre a inteligência emocional, outro tipo especial de inteligência que pode ser até mais importante para o sucesso na vida do que a inteligência acadêmica tradicional.

Oito inteligências de Howard Gardner

Howard Gardner, o professor de Harvard que originalmente propôs a teoria, diz que existem vários tipos de inteligência humana, cada uma representando diferentes formas de processamento de informações.

1. Inteligência lógico-matemática

Esse tipo de inteligência é mais voltado para conclusões baseadas na razão, e descreve a capacidade de resolver equações e provas, de ter pensamento lógico, detectar padrões, fazer cálculos e resolver problemas abstratos.

Por muito tempo esse foi o principal tipo utilizado para medir a inteligência de uma pessoa, através do teste de QI.

O estilo de aprendizagem que mais se encaixa nesse perfil é aquele focado nos números e na lógica. E as profissões que se destacam nesse tipo de inteligência são as de engenheiro, cientista, contador, estatístico e analista.

2. Inteligência espacial-visual

Essa inteligência está ligada à percepção visual e espacial, à interpretação e criação de imagens visuais e à imaginação pictórica. Ela permite que as pessoas compreendam melhor informações gráficas, como mapas.

O estilo de aprendizado está mais relacionado a imagens, gravuras, formas e espaço tridimensional.

Artista, arquiteto, fotógrafo, designer e escultor são profissões mais ligadas a esse tipo de inteligência.

3. Inteligência verbo-linguística

A inteligência linguística se refere não apenas à capacidade oral, mas também a outras formas de expressão, como a escrita ou mesmo o gestual.

A inteligência verbo-linguística refere-se à capacidade de um indivíduo de se expressar, seja por meio da linguagem ou de gestos. Assim como a forma de analisar e interpretar ideias e informações, e produzir trabalhos envolvendo linguagem oral e escrita.

Pessoas com esse tipo de inteligência mais desenvolvido costumam ser ótimos comunicadores e oradores, e aprendem idiomas com certa facilidade. O estilo de aprendizagem está relacionado à linguagem e às palavras.

As profissões que mais se encaixam com esse tipo de inteligência são: escritor, advogado, poeta, jornalista, redator e relações públicas.

4. Inteligência interpessoal

A inteligência interpessoal reflete a capacidade de reconhecer e entender os sentimentos, motivações, desejos e intenções de outras pessoas.

Diz respeito à capacidade de se relacionar com os outros, e o estilo de aprendizado ligado a esse tipo de inteligência envolve contato humano, trabalho em equipe e comunicação.

Profissões como terapeuta, professore, psicólogo, médico, profissional de RH e político são mais relacionadas com esse tipo de inteligência.

5. Inteligência intrapessoal

A inteligência intrapessoal refere-se à capacidade das pessoas de reconhecerem a si mesmos, percebendo seus sentimentos, motivações e desejos. Está ligada à capacidade de identificar seus hábitos inconscientes, transformar suas atitudes, controlar vícios e emoções.

A principal forma de aprendizado está ligada à autorreflexão. Essa inteligência pode ser aplicada a qualquer profissão, pois diz respeito a conhecer a si mesmo.

6. Inteligência naturalista

A inteligência naturalista refere-se à capacidade de compreender o mundo natural, identificando e distinguindo entre diferentes tipos de plantas, animais e formações climáticas.

O tipo de aprendizagem relacionado com essa inteligência é aquele que se dá por meio do contato com a natureza, e as profissões relacionadas são as de biólogo, geólogo, engenheiro climático, jardineiro e meteorologista.

Apesar desse tipo de inteligência não fazer parte do estudo original de Gardner, ele decidiu inclui-lo em 1995, por ser uma inteligência essencial para a sobrevivência no futuro.

7. Inteligência corporal-cinestésica

A inteligência corporal-cinestésica implica o uso do próprio corpo para resolver problemas. Diz respeito à capacidade de controlar os movimentos corporais, ao equilíbrio, à coordenação e à expressão por meio do corpo.

As profissões mais ligadas a esse tipo de inteligência são: dançarino, ator, esportista, mergulhador, bombeiro e motorista.

O tipo de aprendizado é geralmente relacionado com a experiência física e movimento, sensações e toque.

8. Inteligência musical

A inteligência musical permite aos indivíduos produzir, compreender e identificar os diferentes tipos de som, reconhecendo padrões tonais e rítmicos.

O tipo de aprendizado é relacionado com músicas, ritmos e sons, e as profissões mais ligadas a esse tipo de inteligência são: músico, compositor, DJ, cantor, produtor musical e engenheiro acústico.

A diferença entre inteligências múltiplas e estilos de aprendizagem

Um equívoco comum sobre essa teoria é a ideia de que as inteligências múltiplas significam o mesmo que aprender novas habilidades.

As inteligências múltiplas representam diferentes capacidades intelectuais. Os estilos de aprendizagem, de acordo com Howard Gardner, são as formas pelas quais um indivíduo aborda uma série de tarefas.

Segundo Gardner, todas as pessoas têm todos os oito tipos de inteligência listadas acima, em diferentes níveis de aptidão. E as experiências de aprendizagem não precisam necessariamente se relacionar com a área de inteligência mais forte de uma pessoa.

Por exemplo, se alguém é habilidoso em aprender novos idiomas, isso não significa necessariamente que essa pessoa prefere aprender através de palestras. Alguém com alta inteligência visual, como um designer, pode se beneficiar do uso de imagens para se lembrar de informações.

O que a Teoria das Inteligências Múltiplas pode nos ensinar

Embora ainda seja necessária uma pesquisa adicional para determinar as melhores medidas para se avaliar a inteligência das pessoas, essa teoria proporcionou a ampliação das definições que temos atualmente.

É importante que comecemos a pensar sobre as diferentes maneiras pelas quais a informação pode ser apresentada e aprendida.

Existem alguns testes que podem te ajudar a ver quais tipos de inteligência são mais relacionados contigo. Eles são uma maneira interessante de aprender sobre como alguns de nossos gostos e interesses podem influenciar na forma como percebemos as informações.

Porém, esses resultados não são destinados a rotular as pessoas como portadoras de certo tipo de inteligência e que por isso sua forma de aprendizado deverá ser sempre relacionada a ela.

Essa rotulagem cria limites e, quando se trata de aprender, devemos evitar restringir a forma como definimos nosso potencial. As pessoas têm muitas inteligências diferentes, e a força em uma área não significa fraqueza em outra.

Buscar clareza para as ideias obscuras e confusas daqueles que ingressam nos processos de aprendizagem, ou ainda para aqueles que sentem dificuldades em aprender os conteúdos ministrados de forma grosseira e com alto teor de complexidade é – e sempre será – o meu principal objetivo.

Pertenço ao pequeno, mas poderoso, exército de educadores preocupados em produzir um ensino palpável, compreensível até mesmo àqueles alunos com dificuldades de aprendizagem. Não por que sou o redentor dos processos educativos, nem tampouco um ser superdotado de saberes que se sobrepõem aos dos demais colegas de profissão, mas, acima de tudo, por que sou um sonhador, por que imagino um ambiente onde todos possam ter acesso a uma educação de qualidade e possam verdadeiramente usufruir dos seus direitos constitucionais.

A divisibilidade

Cotidianamente utilizamos diversos conhecimentos, de diversas áreas do conhecimento humano, para resolver problemas pontuais ou até mesmo processuais. O fato é que o nosso poder de raciocinar nos dar subsídios para lidarmos com as diferentes problemáticas através do uso de múltiplas ferramentas lógico-matemáticas – também de outras áreas – das quais tomamos posse por meio do contato com o ensino formal das culturas e das ciências, mas também pelo conhecimento informal, adquirido por meio da interação social, isto é, do convívio diário com os diferentes aspectos e subjetividades dos indivíduos sociais pertencentes a uma verdadeira sopa cultural.

É importante que o indivíduo conheça os caminhos pelos quais chegou à determinada conclusão; que ele seja capaz de demonstrar suas teorias e resoluções de problemas; que esteja apto a compartilhar as suas descobertas por meio de argumentos válidos e claros para os seus receptores. Porém, é da mesma forma importante que esse indivíduo possua os atalhos necessários às tomadas de decisões imediatas; que possuam respostas compactas para os questionamentos momentâneos; que saibam sintetizar suas ideias nos momentos em que as situações lhes exijam raciocínio rápido e resposta imediata.

Para ilustrar esses momentos da convivência humana, vamos tomar posse de algumas técnicas matemáticas que facilitam a resolução de problemas relacionados à divisão básica e, consequentemente, a resolução de expressões numéricas de maior complexidade. Essas técnicas já são trabalhadas pela maioria dos educadores matemáticos nas escolas do ensino fundamental, porém, aqui, tentarei ilustrá-las melhor, contextualizando-as em situações-problemas possíveis de ocorrerem na realidade do leitor.

Técnicas de divisibilidade

Divisão por 2

Um número é divisível por dois quando o seu algarismo das unidades simples (o último algarismo da direita para a esquerda) for par, ou ainda quando esse algarismo for zero.

  • 656 → divisível por 2
  • 14698 → divisível por 2
  • 95647 → não-divisível por 2

SITUAÇÃO-PROBLEMA: Paula, após arcar com as despesas mensais, conseguiu juntar R$ 324,00 para dividir igualmente entre suas duas filhas, Marta e Gabrielly. O valor obtido com a divisão ela depositará na poupança de cada uma delas. Qual o valor do depósito que será realizado em cada poupança?

Analisando a situação: Precisamos saber se o número 324 poderá ser dividido igualmente em duas partes (por 2). Segundo a técnica da “divisão por 2” este número é divisível por 2, pois o seu último algarismo é 4, ou seja, par. Sendo assim, podemos prosseguir com a resolução do problema.

Dividindo 324 por 2, obteremos exatos 162, atestando a técnica de divisibilidade descrita acima.

Conclusão: cada poupança receberá um depósito de R$ 162,00.

Divisão por 3

Um número é divisível por três quando a soma de seus algarismos absolutos for também divisível por três.

  • 855 → 8+5+5 = 18, como 18 é divisível por 3, podemos afirmar que 855 também será.

No exemplo acima, ainda poderemos somar 1 a 8 para facilitar a resposta: 1+8 = 9, sendo que 9 também é divisível por 3, atestamos que 855 também será.

  • 25 848 → 2+5+8+4+8 = 27 = 2+7 = 9 → O número 25848 é divisível por 3.
  • 274 → 2+7+4 = 13 = 1+3 = 4 → O número 274 não é divisível por 3.

Obs.: podemos realizar múltiplas adições até que sobre apenas um algarismo como resultado destas adições. Isso facilitará a nossa resposta. Em casos em que na primeira soma já se saiba se o número inteiro é divisível por 3, não precisaremos prosseguir com as adições.

SITUAÇÃO-PROBLEMA: Um fazendeiro, ao falecer, deixou de herança 1026 hectares de terra para seus três filhos. Na hora de dividir a terra entre os três, um dos jovens lançou a seguinte interrogação: irmãos será possível dividir essa quantidade de terra igualmente entre nós três? Vamos respondê-lo com os nossos conhecimentos.

Analisando a situação: o que temos que saber é se o número 1026 é divisível por 3. Simples, utilizando a técnica da “divisão por 3, temos que:

  • 1026 = 1+0+2+6 = 9, como 9 é divisível por 3, 1026 também será.

Conclusão: a resposta ao irmão que realizou o questionamento seria “sim, é possível dividir 1026 hectares igualmente entre os três”.

Divisão por 4

Um número é divisível por quatro quando o número formado pelos seus últimos algarismos (unidade simples e dezena simples) forem também divisíveis por 4 ou terminarem em 00 (zero, zero).

  • 128 → 28:4 = 7 → como o agrupamento dos dois últimos algarismos foi um número divisível por 4, o número 128 também será divisível por 4.
  • 7900 → como o número 7900 termina em 00, ele é divisível por 4.

SITUAÇÃO-PROBLEMA: do pequeno sítio de Dona Zefinha foram colhidas 1200 laranjas. Para vendê-las, ela quer distribui-las igualmente em quatro caixotes. Será possível fazer essa distribuição?

Analisando a situação: para sabermos se é possível distribuir igualmente em quatro caixotes 1200 laranjas, é preciso somente saber se o número 1200 é divisível por 4. Pela técnica de “divisão por 4”, temos:

O número 1200 termina em 00, portanto é divisível por 4

Conclusão: é possível distribuir as 1200 laranjas igualmente nos quatro caixotes.

Divisão por 5

Um número é divisível por cinco quando terminar em zero ou cinco.

  • 25 680 → Como esse número termina em zero, ele é divisível por cinco;
  • 152 → Como esse número não termina nem em zero nem em cinco, ele não é divisível por cinco;
  • 5685 → Por terminar em cinco, esse número é divisível por cinco.

SITUAÇÃO-PROBLEMA: Num bingo, cinco ganhadores conseguiram acertar as pedras premiadas. O prêmio, um valor de R$ 3525,00, relativo a um percentual de arrecadação pela venda das cartelas terá, desta forma, que ser dividido igualmente entre os cinco ganhadores. Qual será o valor recebido por cada um deles como resultado desta divisão?

Analisando a situação: o número 3525, por terminar em cinco, é divisível por 5. Sendo assim, basta efetuarmos a divisão do valor total do prêmio (3525) pelo número de ganhadores (5) → 3525:5 = 705.

Conclusão: Cada ganhador receberá um valor de R$ 705,00.

Divisão por 6

Um número é divisível por seis quando for divisível por 2 e por 3 simultaneamente.

  • 5286 → 5+2+8+6 = 21 (divisível por 3); termina em algarismo par (6) (divisível por 2). Portanto 5286 é também divisível por 6.
  • 957 → 9+5+7 = 21 (divisível por 3); não termina em algarismo par. Portanto 957 não é divisível por 6.

SITUAÇÃO-PROBLEMA: gostaria de dividir minhas 226 figurinhas igualmente entre eu e meus cinco colegas de escola, para que pudéssemos brincar de colar figurinhas. A minha dúvida é: será que com essa quantidade de figurinhas conseguirei realizar esta divisão de forma exata?

Analisando a situação: devemos saber se o número 226 é divisível por 6, pois “eu”, mais os “meus” cinco colegas “formamos” seis pessoas. Vejamos a possibilidade de divisão: 2+2+6 = 10 (não é divisível por 3); termina em algarismo par (divisível por 2). Este número não é divisível por 2 e por 3 simultaneamente.

Conclusão: O número 226 não é divisível por 6, portanto “eu” não conseguirei fazer a divisão exata das minhas figurinhas nas condições do problema.

Outras Considerações

  • Um número será divisível por 9, quando atender os mesmos critérios da divisão por 3, isto é, a soma de seus algarismos absolutos formar um número também divisível por 9;
  • Um número será divisível por 8, quando terminar em 000 (zero, zero, zero) ou quando os últimos 3 dígitos forem divisíveis por 8;
  • Um número será divisível por 10 se terminar em 0.
  • Todo número é divisível por 1;
  • Não existe divisão por zero;
  • Todo número dividido por ele próprio resulta 1.

“Refletir sobre os nossos atos é a melhor maneira de conhecermos a nós mesmos”. (Robison Sá)

Multiplas 3 4

Saiba tudo sobre melanoma metastático. Nesse site, você encontrará as informações que necessita sobre a doença, forma de tratamento, diagnóstico e muito mais.

Estágio refere-se à classificação (ou estadiamento) do câncer que determina a extensão ou gravidade da doença e auxilia o médico na escolha do melhor tratamento. O método utilizado para classificar o melanoma em estágios é baseado principalmente nas características do tumor primário (espessura e presença de ulcerações) e se o câncer se espalhou para os gânglios linfáticos ou para outras partes do corpo formando tumores metastáticos. 1-3

Para saber o estágio do melanoma, o médico poderá solicitar alguns outros exames para descobrir se as células cancerosas se espalharam dentro da pele ou para outras partes do corpo. 1 Entre eles estão os seguintes exames e procedimentos:

  • Mapeamento de linfonodos e biópsia de linfonodo sentinela: é o método-padrão para saber se o câncer atingiu linfonodos em pacientes com melanoma. 1,4-5
  • Tomografia computadorizada (CT scan): se houver suspeita de que a doença se espalhou para outros órgãos, a equipe médica pode pedir uma tomografia, que reproduz múltiplas imagens de raios-X combinadas por computador, para produzir uma imagem detalhada de várias secções do organismo. O exame demora cerca de 30 minutos. 1,4-5
  • Tomografia de emissão de pósitrons (PET scan): é uma técnica de imagem que revela as alterações do metabolismo celular por todo o corpo, e permite a detecção precoce de mínimas lesões tumorais ou novos focos da doença e determina, com precisão, a localização em um determinado órgão. 1,4-5
  • Ressonância magnética (MRI): é uma técnica semelhante à tomografia, mas usa ondas magnéticas e ímãs fortes para produzir uma imagem. É usada principalmente para suspeita de metástases cerebrais. 1,4-5
  • Estudos de sangue: é verificado a presença de uma enzima chamada lactato desidrogenase (LDH). Altos níveis dessa enzima pode ser um sinal de melanoma. 1

De acordo com os resultados destes exames e da biópsia do tumor, o melanoma pode ser classificado em 5 estágios (de 0 a 4), sendo o estágio zero o mais inicial e os estágios 3 e 4 os mais graves, conhecidos como melanoma avançado. 1-3

Estágios do melanoma e sua descrição

Estágio 0, também conhecido como melanoma in situ

Melanócitos anormais são encontrados na epiderme (parte mais externa da pele). As células de melanoma estão todas contidas na área em que começaram a desenvolver e não cresceram em camadas mais profundas da pele. 1-3

Estágios 1 e 2

Nestes estágios o tumor apresenta entre 1 e 4 milímetros de espessura, com ou sem ulceração, porém não se espalharam para outros tecidos. 1-3

Estágio 3

Neste estágio, o tumor pode ter qualquer espessura, com ou sem ulceração. No entanto, o câncer já se espalhou para áreas próximas como gânglios linfáticos e linfonodos ou outros lugares da pele a não mais de 2 centímetros de distância do tumor primário. 1-3

Estágio 4, também conhecido como melanoma metastático

Neste estágio o câncer se espalhou para outros locais do corpo, como pulmão, fígado, cérebro, osso ou trato gastrintestinal. O câncer pode também ter se espalhado para outros lugares na pele longe de onde ele começou. 1-3

Conhecer o estágio do melanoma ajuda o médico a entender a gravidade do câncer e planejar o melhor tratamento. 1-3 Apesar do melanoma metastático não ter cura, hoje existem tratamentos modernos, como as terapias-alvo, que permitem que os pacientes vivam por mais tempo com mais qualidade de vida. No entanto, para se beneficiar das terapias-alvo, é fundamental que os pacientes realizem exames que detectam alterações genéticas, como a mutação do gene BRAF, que é a mais comumente encontrada em pacientes com melanoma. 4,6-7

Juntas rotativas com múltiplas passagens

Pressão: 0 bar - 40 bar
Velocidade de rotação: 0 rpm - 500 rpm

. As uniões rotativas da série LT de 2 passagens são projetadas para uso em ar, gás e vácuo e são ideais para uma série de aplicações de automação e robótica. Estas uniões.

Pressão: 0 bar - 515 bar
Velocidade de rotação: 0 rpm - 500 rpm

Pressão: 0 bar - 40 bar
Velocidade de rotação: 0 rpm - 500 rpm

. As uniões rotativas da série LT de 4 passagens são projetadas para uso em ar, gás e vácuo e são ideais para diversas aplicações de automação e robótica. Estas uniões.

Pressão: 0 bar - 100 bar
Velocidade de rotação: 0 rpm - 1.500 rpm
Tamanho nominal: 0,125 in - 1,25 in

. Descrição: Estas ligações rotativas de multi-circuito permitem a transferência de vários fluidos a diferentes pressões na sua instalação. Atividades: - Comida - Química, Plástico, Saúde - Construção, Edificação, Madeira,.

Pressão: 0 bar - 350 bar
Velocidade de rotação: 0 rpm - 1.500 rpm
Tamanho nominal: 0,25 in - 1 in

. Descrição: Fornecimento de eixos rotativos com 1 ou 2 fluidos, comando de macaco de duplo efeito, etc. Atividades: - Química, Plástico, Saúde - Construção, Edificação, Madeira, Habitat -.

Pressão: 0 bar - 100 bar
Velocidade de rotação: 0 rpm - 1.500 rpm
Tamanho nominal: 0,25 mm - 1 mm

. Descrição: Fornecimento de eixos rotativos com 1 ou 2 fluidos, comando de macaco de duplo efeito, etc. Atividades: - Química, Plástico, Saúde - Construção, Edificação, Madeira, Habitat -.

Pressão: 0 bar - 350 bar
Velocidade de rotação: 15.000 rpm
Tamanho nominal: 15 mm - 360 mm

. Para altas pressões e velocidades O comprovado sistema de vedação ROTOSTAT E usa uma vedação radial controlada hidrostaticamente, garantindo uma operação confiável mesmo sob as mais exigentes condições de operação. Vida.

Pressão: 0 bar - 250 bar
Velocidade de rotação: 15.000 rpm
Tamanho nominal: 30 mm - 200 mm

. excepcionais de funcionamento de emergência As uniões ROTOSTAT N estão disponíveis em duas variantes: como uniões rotativas completas com até 8 passagens e como elemento.

Pressão: 0 bar - 250 bar
Velocidade de rotação: 6.000, 4.000 rpm

. foi projetado especificamente para o fornecimento de refrigerante radial aos cabeçotes de fresamento. Realizada em um design de cartucho extremamente compacto, a união rotativa radial.

Pressão: 1.015 psi
Velocidade de rotação: 0 rpm - 12.000 rpm
Tamanho nominal: 0,25 in

. Duas passagens independentes para aplicações como, por exemplo, fixação e desengate de fixação Vedações mecânicas equilibradas para cada passagem proporcionam longa vida útil e torque reduzido.

Pressão: 3.000, 150 psi
Velocidade de rotação: 0 rpm - 250 rpm
Tamanho nominal: 0,5, 0,25 in

. Design tandem de dupla passagem para aplicações com ar de baixa velocidade, hidráulicas e fluidos de freio União rotativa auto-suportada.

Pressão: 3.000, 150 psi
Velocidade de rotação: 0 rpm - 250 rpm
Tamanho nominal: 0,5, 0,25 in

. Design tandem de dupla passagem para aplicações com ar de baixa velocidade, hidráulicas e fluidos de freio União rotativa auto-suportada.

Pressão: 10 bar - 250 bar
Tamanho nominal: 10 mm

. Hidráulica de Junta Multiportos - Pneumática Ligação especial do cliente Velocidade: máximo 300 1/min Pressão: max 10 bar de ar - max 250 bar hidráulico Temperatura: máx. 90°C Características.

Pressão: 50 bar
Velocidade de rotação: 3.500 rpm
Tamanho nominal: 0,25 in - 2 in

. Série 7101 uso universal Modelo N: selo de carbono grafite/carboneto de silício (selo padrão) Modelo D: selo de carboneto de silício/carboneto de silício (para aplicações com água de má filtração.

Pressão: 50 bar
Velocidade de rotação: 3.500 rpm
Tamanho nominal: 0,25 in - 2 in

. carboneto de silício para atividades com contaminantes abrasivos ou água de filtração mínima A série é construída em aço inoxidável, com linhas simples de entrada e saída com tubos rotativos.



Publicar comentário
Procurar


Para você
Artigos sobre o tema Blog
16-03-2021
Site de games Twitch, da Amazon, agora aposta nas transmissões de futebol
Site de games Twitch, da Amazon, agora aposta nas transmissões de futebol

Com a volta das partidas de futebol na Europa, os times precisaram encontrar formas para que os torcedores assistam aos jogos longe dos campos e estádios...

29-03-2021
Meus resultados app
Meus resultados app

# todoscontraocoronavirus...

24-04-2021
'Worse than my ex': Myanmar's very online youth take on the junta, coup
'Worse than my ex': Myanmar's very online youth take on the junta, coup

Their signs say it all: Myanmar's ruling junta is worse than an ex-boyfriend, fouler than fish curry, rejected by millions and more painful than a period...